Economia

Pesquisa divulgada na quinta-feira, 29 pela TeleCheque aponta que, do total de brasileiros endividados, 57,08% são mulheres. Para a gerente da Instituição, Cláudia Maciel, o dado não surpreende: "os homens são mesmo mais controlados na hora de gastar. Eles são mais racionais nesse quesito".

Porém, Cláudia conta que, mais do que evidenciar que os homens planejam mais seus gastos, os números revelam que grande parte das mulheres independentes possuem dificuldade em gerir suas finanças.

"Das 57,08% das endividadas, mais de 44% são solteiras. Esse é o preço que muitas mulheres pagam por serem independentes. Elas trabalham, são maduras, mas muitas vezes fica difícil gerenciar a renda com os gastos", afirma.

Gastos e pagamentos

A gerente conta ainda que, na hora de gastar, o vilão do orçamento de homens e mulheres é o mesmo: o vestuário. "Esse é o lugar onde ambos os sexos mais gastam: as lojas de roupas".

Porém, ela conta que há diferenças em outros gastos. "Homem gosta de carros e objetos eletrônicos, mulher é mais guiada pela vaidade: roupas, produtos de beleza e perfume". E completa: "Elas compram mais pela emoção, se deixam levar pelos sentimentos e chegam a comprar para suprimir alguma frustração. Eles compram por status e poder. Não é à toa que a maioria dos homens têm como sonho de consumo um carro poderoso".

Cláudia afirma ainda que esses gastos devem mudar nos próximos meses. "A crise financeira está mais evidente agora, com as manchetes dos jornais estampando o grande número de demissões que estão ocorrendo em todo o mundo, por exemplo. Assim, os gastos devem mudar e ficarão focados em itens de primeiras necessidade. Acreditamos que, ao fim do primeiro trimestre desse ano, vamos constatar que o maior índice de endividamento estará em itens ligados à alimentação".

E, na hora de pagar as contas, a gerente afirma que os homens são mais organizados. "Quando parcelam suas compras, por exemplo, eles anotam seus gastos e sabem quanto vai vir na fatura do cartão de crédito no final do mês. Muitas mulheres não fazem isso, o que faz com que, na hora que a conta chega, não se tenha a quantidade necessária para pagar. Isso gera endividamento e inadimplência".

Fonte: InfoMoney

Por: Redação

Tags: Economia, TeleCheque