Polí­tica

Foto: André Camargo
  • Senador João Ribeiro discursando no Plenário - Foto - Agência Senado

O senador João Ribeiro (PR-TO) - líder do PR no Senado Federal - recebeu nesta segunda-feira, 2, em seu gabinete em Brasília, 25 suplentes de vereadores tocantinenses em busca de apoio à PEC 020/2008, que prevê o aumento do número de vereadores nas câmaras municipais de todo o país.

Estiveram com o senador os suplentes de vereadores Jota C (Paraíso), Jairo Muniz (Palmas), Josmundo Vila Nova (Palmas), João Bosco (Paraiso), Antonio Martins Colombiano (Paraiso), Tibúrcio Tolentino (Palmas), Antonio Pereira (Paraiso), Gerson de Oliveira (Porto Nacional), Marcelino de Aguiar (Porto Nacional), Marcondes Barreto (Palmas), Alderley Morais (Palmas), Francisco Braga (Palmas), André Luiz Torres (Miracema), José Eudes Torres (Palmas), José Almeri (Colinas), Antonio Fernandes da Costa (Paraiso), Norton Rubens Rodrigues (Palmas), José Anibal (Palmas), José Magalhães (Guaraí), Leandro Rodrigues (Porto Nacional), Nubio Gomes de Oliveira (Miracema), Diógenes Gonçalves (Porto Nacional), Jairo Ribeiro Araujo (Araguatins), Luiz Augusto Rodrigues (Gurupi) e Josemar Teixeira (Gurupi).

Após receber os vereadores em seu gabinete, o senador João Ribeiro ocupou a Tribuna do Senado para manifestar o seu apoio à PEC 020/2008, e destacou o importante papel do vereador no processo democrático.

No ano passado a matéria que prevê o aumento do número de vereadores passou pela Câmara e pelo Senado. Contudo, acabou nas mãos do Supremo Tribunal Federal (STF) porque o presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), não aceitou o fato dos senadores desmembrarem do texto a redução em R$ 1,2 bilhão nos repasses anuais aos legislativos municipais.

Agora, o STF aguarda explicação dos deputados para emitir parecer sobre o caso. O presidente ficou de dar a resposta no início do ano legislativo. O STF vai decidir se a PEC será promulgada ou se volta para a Câmara. E mais de três mil suplentes de vereadores de todo o Brasil se encontram em Brasília para pressionar o Congresso Nacional.

Fonte: Assessoria de imprensa sen. João Ribeiro