Campo

Foto: Lenito Abreu

Termina nesta quarta-feira, dia 10, o prazo para os produtores comprovarem a imunização contra febre aftosa dos animais. A campanha foi realizada entre os dias 1º e 30 de maio, e todos os bovídeos (bovinos e bubalinos) precisavam ser vacinados contra a doença.

Os proprietários que não vacinaram seus animais terão a ficha bloqueada e não poderão movimentar o rebanho. Além disso, devem pagar uma multa de R$ 5,32 por animal não vacinado, pegar uma autorização na Adapec para comprar as doses na loja agropecuária e agendar a vacinação que deve ser assistida por fiscais da Agência.

Para quem vacinou, mas não comprovou a multa é de R$ 127,69 por propriedade. Para ratificar a imunização, o produtor deve comparecer ao escritório onde a ficha da propriedade rural é cadastrada e apresentar a nota fiscal da compra das vacinas e a carta aviso dos animais, documento que contém dados como idade e sexo.

Após essa data (10 de junho), explica o presidente da Adapec – Agência de Defesa Agropecuária Humberto Camêlo, os fiscais agropecuários irão às propriedades inadimplentes para normalizar a situação. “O objetivo maior é preservar a sanidade do nosso rebanho que está há 12 anos sem registro de febre aftosa. Apesar disso, não podemos descuidar um só minuto”, diz o presidente, acrescentando que os produtores rurais também podem ajudar nesse processo de vigilância sanitária fazendo denúncias de possíveis irregularidades.

O telefone para denúncias é o 0800 63 11 22. Não precisa se identificar. Registrada a denúncia, técnicos da Adapec irão até o local apurar o caso o mais breve possível.

Febre Aftosa

A doença causa imensos prejuízos aos produtores rurais, estados e País, bloqueando o comércio de carne para o exterior. O último caso de febre aftosa registrado no Tocantins foi em maio de 1997.

Campanha

De acordo com os dados da segunda etapa da campanha antiaftosa de 2008, realizada em novembro, o rebanho tocantinense conta com 7.344.864 bovídeos. Nesta etapa, 7.283.927 cabeças de bovídeos foram imunizadas, o que significa uma cobertura vacinal de 99,17%.

Fonte: Adapec