Cultura

Foto: Divulgação

O poeta e jornalista Gilson Cavalcante escolheu o Gamboa Café e Restaurante, em Taquaruçu, para lançar o seu mais recente livro de poesias, cujo título é Anima Animus – o decote de vênus. A obra conta com 60 poemas em homenagem às mulheres, recheados de lirismo, sarcasmo e misticismo.

O poeta convidou o seu filho Aluísio Cavalcante, cantor e compositor, para brindar o lançamento e a passagem de ano. As ilustrações e capa são da artista plástica Maíra Bellini e o projeto gráfico de seu outro filho – João Lino.

Irreverente e brincalhão, Gilson se coloca na condição de mulher para revelar o seu lado feminino. De cara, ele abre o livro com o poema Pecado Original:

Sou Eva

a viva flor primeva

a que desceu do paraíso

a par do que precisa

consertar.

Sou Eva

doida doída

doidivana doidivina

a que se dividiu na dor

parindo outras dores.

Fui Eva

de cama mesa banho

meu corpo não tem tamanho

e cabe na cama de adoecer

os homens.

E mais na frente, arremata: “Tome aqui os meus seios caídos / os meus lábios

ainda molhados / e uma cicatriz no vão das cochas / que deixa os homens

meio loucos”.

O poeta encerra o livro com o poema Último Ato, com uma confissão inédita:

Completamente nu.

Nu de tudo, nu de todos.

Agora estou pronto

pra vestir a carne dos anjos

e balançar nos galhos

da árvore da volúpia

sem nenhuma fantasia.

Fecham-se as cortinas

porque a vida vai começar

do outro lado do espelho.