Geral

Foto: Bárbara Vasconcelos

Com a mesa farta e o sorriso nos rostos, as crianças atendidas pelo Centro Comunitário Bom Jesus, em Conceição do Tocantins, a 294 km de Palmas, receberam, ontem, segunda-feira, 8, o governador Carlos Henrique Gaguim e sua comitiva, durante a Caravana Acelera Tocantins, para agradecer pelos produtos que recebem por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) Compra Direta Local da Agricultura Familiar. O programa é executado pelo Ruraltins – Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins. “Se não fosse por esse programa não teríamos condições de oferecer o alimento para todos que nos procuram na entidade”, conta a coordenadora do Centro Comunitário, irmã Flora Romam.

No município são beneficiadas outras sete entidades, sendo quatro Escolas Municipais, os Pioneiros Mirins, o Peti (Programa de Erradicação do Trabalho Infantil) e o CRAS (Centro de Referência de Assistência Social).

Em Conceição, 16 agricultores familiares comercializam produtos por meio do PAA, para fortalecer a alimentação das pessoas que vivem em vulnerabilidade alimentar. A coordenadora do Centro Comunitário Bom Jesus comenta que não são apenas as crianças que ficam contentes por ter uma mesa farta e alimentos de qualidades, mas que também os agricultores sentem-se realizados por ter para quem vender.

Em 2009, foram comercializados no município cerca de R$ 30 mil para o PAA, beneficiando com os produtos mais de 600 pessoas. “Temos que aumentar os recursos investidos no Compra Direta que incentiva a comercialização dos produtos que vem direto do agricultor”, afirmou em discurso o governador.

Segundo o Supervisor Regional do Ruraltins de Taguatinga, Ailton Emiliano dos Reis, foram destinados, este ano, para a comercialização dos produtos da agricultura familiar, em Conceição, cerca de R$ 100 mil, lembrando que cada agricultor pode comercializar até R$ 4.500 por ano.

O presidente do Ruraltins, José Elias Júnior, conta que para as compras deste primeiro semestre já estão disponíveis R$ 7milhões na conta do órgão e que iniciam ainda no mês de fevereiro. “Vamos buscar junto ao Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome – MDS – que é o responsável pelo Programa, mais recursos para investir beneficiar mais pessoas”, comenta.

Fonte: Secom