Geral

Foto: Elisvalte Rodrigues

O polo da Universidade Aberta do Brasil, de Porto Nacional (UAB/UNB), recebeu na segunda, 5, o professor Jo Wills da Guildhall School of Music and Drama de Londres – Inglaterra.

Segundo Marcio Belo, aluno do curso de música e instrutor no grupo Tambores do Tocantins, o professor atua em um instituto de educação musical da Europa que é considerado o segundo maior do mundo, e que trabalha com música erudita, música clássica e música popular. Ainda segundo Belo, este intercâmbio é fruto do programa Cultura Viva que, através de uma observação do Brasil, selecionou 12 pontos de cultura no país para receberem a visita de artistas internacionais. O projeto Tambores do Tocantins, em Porto Nacional, foi um deles.

Márcio Belo afirma que a intenção de trazer o músico inglês a para ministrar aula aos alunos de música da UAB/UNB, foi estender a visita feita ao Tambores do Tocantins para que os alunos tivesses a oportunidade de ter essa interação, “além de ser uma forma de para que o professor tenha uma visão sobre a educação musical no Brasil”, concluiu.

De acordo com a tutora presencial de música da UAB/UNB, Ana Cristina Freitas, apesar dos alunos já serem profissionais da área musical a oficina trouxe ideias inovadoras. Ana Cristina ressalta, ainda, que a oficina foi embasada em um dos elementos fundamentais da música, o ritmo. Além da parte rítmica, a tutora destaca que a música é composta por melodia e harmonia.

Segundo Gil Pereira da Cunha, acadêmico de musica da Universidade Aberta do Brasil, a oficina estimula os alunos a desenvolverem algumas tarefas ao mesmo tempo. “Observando a avaliação rítmica de cada um, foi possível melhorar a coordenação motora que é muito importante na área musical”, destacou.

O intercambio terá duração de sete dias. Desde que chegou, na quinta-feira, 1º,o professor participou de oficinas de construção de instrumento do grupo Tambores do Tocantins, conheceu a saída da folia do Divino e grupo de súcia na cidade de Natividade, além de outros pontos de cultura em Palmas e Taquaralto. Estas experiências deram oportunidade de Wills entender um pouco o contexto da cultura do Estado, assim como do País.

Para o professor inglês, apesar do pouco tempo com os acadêmicos ele procurou mostrar uma nova maneira se produzir música, ou seja, “um pensar diferente”. O professor afirmou ainda que gosta muito do Brasil, e que aqui ele aprende bastante, e a musica é muito interessante pois aqui existe uma grande diversidade dentro da musicalidade.

Da redação com informações da Ascom Prefeitura de Porto Nacional.