Geral

Foto: Ezequias Araújo Secretário de Assuntos Parlamentares, Totó Cavalcante Secretário de Assuntos Parlamentares, Totó Cavalcante

O secretário de Assuntos Parlamentares, Totó Cavalcante em entrevista ao Conexão Tocantins na manhã desta segunda, 17, negou que foi vaiado no evento de aniversário do Setor Taquari em Palmas, neste domingo, 16.

Conforme informações repassadas pelo líder comunitário Erivelton da Silva Santos através do espaço Repórter Cidadão, Totó, que representou o governador Carlos Henrique Gaguim (PMDB), e ainda o ex-secretário de juventude, Ricardo Ayres teriam sido vaiados durante pronunciamento na Feira coberta do setor.

“Não houve vaias, apenas a manifestação isolada de alguns membros do grupo do ex-governador Siqueira Campos”, disse. O secretário explicou que um grupo de no máximo 15 pessoas durante sua fala reagiu com gritos e assobios.

O motivo da manifestação isolada foi a ausência do governador no evento bem como do ex-governador Marcelo Miranda. “ Um ex-vereador de Rio do Sono, que estava acompanhado de algumas pessoas usou a palavra e reclamou da ausência do governador”, explica. O secretário afirma que o ex-vereador não foi aplaudido em sua fala.

Totó conta que em seu discurso explicou que o governador não estava presente em virtude da realização da Caravana Acelera Tocantins nos municípios do Centro-Oeste. “Falei também que se eles estavam podendo se manifestar ali foi porque pessoas como eu fizeram greve de fome para criar o Estado e ainda lutou pela democracia no Tocantins”, frisou.

Outro argumento que Totó usou em seu pronunciamento foi a preocupação do governador em mandar representante para o evento. “A maioria nem mandou representante”, disse.

Outros representantes

No evento, que não contou com a participação do prefeito Raul Filho (PT), o senador Leomar Quintanilha (PMDB) e o deputado Eduardo do Dertins (PPS) também encaminharam representantes. O ex-secretário de Habitação e Desenvolvimento Urbano, Aleandro Lacerda também usou a palavra onde ressaltou as ações do governo no setor.