Polí­tica

Foto: Marcio Vieira

O ex-governador e candidato ao Senado pela coligação Força do Povo, Marcelo Miranda (PMDB) teve o aval dos juízes do Tribunal Regional Eleitoral na noite desta segunda-feira, 2, para seguir com a candidatura.O relator foi o juiz Luiz Zilmar. Votaram contra o registro de Marcelo, Marcelo Cordeiro e Marcelo Albernaz.

A sessão foi presidida pelo juiz Liberato Póvoa, que presidiu a sessão desta terça e desempatou o resultado com voto minerva.Francisco Gomes também votou a favor de Marcelo. Hélio Miranda e José de Moura Filho, presidente do TRE não foram á sessão.

Alvo da ação de impugnação impetrada na corte pelo PSDB, Marcelo afirmou ao Conexão Tocantins na noite desta segunda, após o resultado da votação que recebeu com “humildade” a decisão da justiça.Na residência de Marcelo, depois do julgamento vários amigos e lideranças políticas foram prestar solidariedade ao peemedebista.“Estou recebendo ligações de todo o país”, afirmou.

“Recebo com muita humildade, respeito a justiça e mais uma vez provei para meia dúzia de pessoas que não sou quem elas estavam achando”, frisou.

O PSDB alegou a aprovação do projeto Ficha Limpa pelo fato do ex-governador ter sido cassado pelo TSE no entanto, a defesa de Marcelo, coordenada pelo advogado Sérgio do Vale argumentou que o peemedebista já foi punido e portanto não poderia ser penalizado pela lei.A Procuradoria Regional Eleitoral afirmou que vai recorrer da decisão para impedir a candidatura de Marcelo.

Marcelo agradeceu o grupo de advogados da coligação pela defesa. “O trabalho de todos os nossos advogados foi importante”, disse.

A partir de agora, segundo Marcelo, a meta é se dedicar integralmente à campanha ao lado do companheiro de chapa, Paulo Mourão (PT). “Agora nós vamos para a arrancada da vitória junto com o governador e os outros do grupo”, disse.

Até o momento nas pesquisas divulgadas, Marcelo tem liderado na preferência do eleitorado numa disputa acirrada com o senador João Ribeiro (PR).

O ex-secretário de Indústria e Comércio, Eudoro Pedroza e o pai de Marcelo, Brito Miranda são os suplentes do peemedebista.