Polí­tica

Foto: Divulgação

A campanha eleitoral começa a tomar corpo publicitário no Tocantins neste mês de agosto. O cidadão que anda pelas ruas de Palmas já percebe o clima de eleições que toma conta da cidade. Contudo, em comparação com anos anteriores, o volume de material colocado à disposição do eleitor, no ano de 2010 diminuiu, pelo menos na opinião dos próprios eleitores.

É o que diz, por exemplo, o eleitor Leonardo Vieira. Vieira, que é vendedor de espaços publicitários de uma rádio da capital e roda a cidade atrás de seus clientes, informou ao Conexão Tocantins que tem percebido uma campanha mais tímida este ano, em relação às eleições anteriores.

Leonardo acredita que a legislação eleitoral esteja mais rígida este ano, e por isso a propaganda eleitoral ainda não tenha deslanchado nas ruas de Palmas. “Os carros de som estão com o volume mais baixo, ainda não vi muitos muros pintados”, completou.

Em contrapartida, o comerciante José Antônio Ramos relatou que vem ouvindo reclamações em seu restaurante. Segundo Ramos, “a campanha está muito bagunçada, com muita poluição sonora”. No entanto, o comerciante ressaltou que neste princípio de “competição” publicitária, seus negócios ainda não foram afetados. “Não afeta, mas existe muita reclamação, os clientes comentam”, informou.

Assim como Leonardo Vieira, o dono de restaurante afirmou acreditar que a legislação eleitoral está mais dura este ano do que em anos anteriores e que por isso, a campanha eleitoral nãotrará muita poluição física para as ruas da cidade. “Além de mais quieto, está menos sujo. Estão sujando menos as ruas por causa das cobranças”, destacou.

Limpeza nas ruas e sujeira na mídia

Esta semana começa a propaganda eleitoral gratuita em rádio e TV. À partir desta terça-feira, 17, políticos, partidos e coligações terão seu espaço nas mídias para lançar suas idéias, propostas e projetos. No entanto, para o comerciante de Palmas, a campanha este ano poderá assumir um tom mais agressivo entre as frentes políticas. “Acho que as propagandas vão ser mais sujas, mais agressivas”, relatou.

Já Leonardo Vieira afirma que espera uma campanha limpa e com alto índice de debates e apresentação de propostas por conta dos candidatos. “Espero que seja uma campanha de projetos”, completou, afirmando ainda que a expectativa é de que os candidatos apresentem os trabalhos já realizados no passado e suas propostas para o futuro do Estado. “Para a gente ter uma perspectiva de quem votar”, finalizou.

Guinada em setembro

De qualquer forma, a expectativa entre o eleitorado é de que, com o início das propagandas em rádio e televisão, a campanha ganhe forma e deslanche de vez este ano. Para Vieira, a corrida eleitoral só ganhará corpo efetivamente a partir do próximo mês. “A expectativa é que neste mês de setembro melhore”, completou.