Polí­tica

A Polícia Civil apreendeu na tarde desta quarta-feira, 22, todo o balancete do ano passado da Câmara Municipal de Pindorama, a 196 Km de Palmas. A investigação de mais de seis meses da Polícia Civil apura crimes contra a administração pública do município, como formação de quadrilha pelos vereadores e funcionários da Casa Legislativa, falsidade ideológica e apropriação indébita do dinheiro público.

Segundo informações do delegado à frente das investigações, Hudson Guimarães Leite, “o mandado de busca e apreensão dos documentos teve como finalidade a comprovação de tais crimes e irregularidades na administração pública. A operação foi satisfatória, já que é claramente visível o uso indevido da máquina pública, por parte dos gestores municipais”, declarou o delegado.

Nove pessoas estão sendo investigadas pela Polícia Civil: os vereadores Osvaldo Xavier (PMDB), Nilo Ribeiro Mendes (PSB), José Rubson Neres de Cerqueira (PMDB), Manoel Messias Neres e Agnaldo Mendes Reis (PV), além dos servidores administrativos: Edian Mendes dos Santos, Sandra Maria Tavares da Silva, Dernivan Martins dos Santos e o contador da Câmara Municipal, Antonio Moura Macedo. A Justiça autorizou também a quebra do sigilo fiscal e bancário dos investigados.

Em meio aos documentos apreendidos há diárias disponibilizadas aos vereadores nos valores de R$ 180 para cidades vizinhas, R$ 250 para Palmas e R$ 350 para Brasília, pagas de forma indiscriminada. Ainda de acordo com a Polícia, o servidor que “viajasse a trabalho” não precisava pernoitar na cidade. As diárias solicitadas não têm justificativa plausível e nenhum relatório foi feito.

Um veículo Fiat Uno, locado no ano passado pela Câmara Municipal, seria de propriedade do presidente da Casa Legislativa (exercício 2009), Osvaldo Xavier. O valor da locação mensal era de R$ 2,5 mil. A Polícia Civil acredita que a licitação para locação do carro foi fraudada para beneficiar o legislador.

Da redação com informações da Secretaria de Segurança Pública