Polí­tica

Foto: Divulgação Eduardo deve visitar mãe nesta quarta Eduardo deve visitar mãe nesta quarta

Em entrevista ao Conexão Tocantins nesta segunda-feira, 04, o ex-senador e coordenador da campanha de Siqueira Campos (PSDB), Eduardo Siqueira Campos, destacou que vitória de seu pai nas urnas é o restabelecimento da construção do Estado. “Nós tivemos um vácuo de 8 anos fora do governo e agora temos a chance de mostrar, com a arrecadação do Estado, que Siqueira Campos fará o melhor governo”, completou.

Eduardo afirmou que como primeiras medidas de governo, Siqueirapretende reorganizar as finanças do Estado, e fazer uma revisão das práticas administrativas. “O Estado encontrou no nome de Siqueira Campos o instrumento para isso”, afirmou.

Respeito a adversários

Eduardo, rechaçando as acusações de intransigência política do governador eleito, reiterou o discurso de respeito aos adversários. “Nós temos que respeitar a sociedade, os partidos, os adversários”, informou.

O ex-senador ainda apontou as diretrizes que, segundo ele, irão direcionar os rumos do governo do Tocantins nos próximos quatro anos. Assumindo um tom mais ameno, Eduardo destacou que seu pai irá governar “com humildade, tranquilidade, serenidade e respeito”.

Votação apertada

O filho de Siqueira não se mostrou surpreso com o resultado apertado do último domingo. De acordo com ele, vários fatores contribuíram para o crescimento do governador Carlos Henrique Gaguim (PMDB). “Pesa muito a palavra do presidente Lula, daquela que iria ser a presidente, Dilma, da máquina, das prefeituras”, completou.

Eduardo preferiu não comentar muito sobre as eleições, pois, de acordo com ele, este já é um capítulo encerrado. Contudo, o coordenador da campanha siqueirista destacou que é necessário manter o diálogo com todos os candidatos eleitos, não importando a sigla. “Nisso pesam os eleitos a deputado estadual, federal, ao senado”, concluiu.

Relacionamento Tocantins e Presidência

No último domingo a eleição para presidente da República acabou sendo adiada para o segundo turno. No entanto, pelo resultado da votação, é possível apontar a candidata do PT, Dilma Rousseff como franca favorita ao Palácio do Planalto.

Neste sentido, o ex-senador não demonstrou preocupação por um possível relacionamento futuro entre PSDB no governo e PT na presidência. “Lula diz que jamais deixou que diferenças de siglas deixassem que estados fossem prejudicados”, destacou.

Eduardo ainda ressaltou que desde o começo da campanha a coligação Tocantins Levado a Sério precisou se adaptar às diferentes opiniões e apoios presidenciais presentes. É o caso, de acordo com ele, dos candidatos ao senado, João Ribeiro (PR) e Vicentinho Alves (PR) que apóiam Dilma para presidente e do deputado Marcelo Lelis (PV) que pedia votos para a candidata e sua correligionária, Marina Silva.

O coordenador da campanha vencedora este ano afirmou que o governo de Siqueira pretende buscar equilíbrio à frente do Palácio Araguaia. “Quem não tem estabilidade política, não tem estabilidade administrativa. Nós buscamos as duas”, concluiu.