Educação

Há dez anos, a população tocantinense realizava mais um grande sonho: a conquista da Universidade Federal do Tocantins. Mas, esse importante acontecimento só foi possível depois de um período de lutas, marcado por manifestações e passeatas em função de mudanças na política da educação superior pública, pelo governo da época. Esses atos culminaram com a aprovação, no dia 23 de outubro de 2000, pelo Congresso Nacional, do Projeto de Lei Nº 3.126/2000, que autorizava o Poder Executivo a instituir a Fundação Universidade Federal do Tocantins. Nascia então a UFT.

Porém, a Universidade só iniciou suas atividades a partir de maio de 2003, com a posse dos primeiros professores efetivos e a transferência dos cursos de graduação da Universidade do Tocantins (Unitins), mantida pelo estado do Tocantins. Hoje, uma década depois, a UFT – instituição destinada à promoção do ensino, pesquisa e extensão, cuja missão é produzir conhecimentos para formar cidadãos e profissionais qualificados e comprometidos com o desenvolvimento sustentável da Amazônia – tornou-se um diferencial na educação e no desenvolvimento de pesquisas e projetos no contexto socioeconômico e cultural do Estado.

Situação em 2003

Para se ter uma ideia do desenvolvimento da UFT nesses anos, a Universidade iniciou suas atividades com 25 cursos de graduação, um de mestrado, 139 professores e nenhum técnico-administrativo para todos seus sete campi. O acervo bibliográfico contava com pouco mais de 20 mil exemplares, a informatização era insuficiente e muitos problemas estruturais comprometiam a utilização de muitos prédios herdados.

UFT hoje

Hoje o desenvolvimento da UFT pode ser verificado de norte a sul do Tocantins, por meio dos mesmos campi e mais dez pólos de ensino a distância. Atualmente a Instituição conta com 48 cursos de graduação, com mais de 12 mil alunos (Graduação, Parfor e UAB); um acervo bibliográfico de 153 mil exemplares; cerca de 900 professores sendo, destes, 392 mestres e doutores, além de um arrojado projeto de estruturação dos campi com a realização de inúmeras obras como novos blocos de salas de aula, auditórios, anfiteatros, bibliotecas, laboratórios, entre outros departamentos.

Comemoração

Para comemorar esse momento histórico, a UFT realiza nesta segunda-feira (25), às 17h, no auditório do Bloco IV – Campus de Palmas – um ato simbólico com o reitor, pró-reitores, professores, técnicos, alunos, ex-alunos e autoridades. Na oportunidade, será lançado o edital para participação do Painel Histórico “Nossa História”, cujo objetivo é resgatar a história da Universidade por meio de fotografias de época. “Nós queremos fazer o registro dessa importante data e recolher fotografias que marcaram esse período”, afirma o reitor Alan Barbiero.

Fonte: Assessoria de Imprensa UFT

Por: Redação

Tags: Alan Barbiero, Educação, UFT