Campo

Foto: Lenito Abreu

Os sete municípios tocantinenses que formavam uma zona de proteção no Estado (Barra do Ouro, Goiatins, Campos Lindos, Recursolândia, Lizarda, São Felix e Mateiros) foram reconhecidos pelo Mapa - Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - como zona livre de febre aftosa com vacinação. Com a medida, publicada no DOU desta terça-feira, 28, fica extinta a zona tampão no Tocantins.

A retirada da área só foi possível após a realização de um inquérito sorológico, feito em 290 propriedades rurais da região no último mês de novembro, que comprovou a ausência de atividade do vírus da febre aftosa.

Para o presidente da Adapec – Agência de Defesa Agropecuária – José Luciano Azevedo Carlos, esta é mais uma importante conquista para a pecuária tocantinense, que trará inúmeros benefícios econômicos. “Esta é uma luta antiga da classe. Os produtores da região estavam desestimulados já que seu gado era desvalorizado. Isso influenciava negativamente toda a cadeia produtiva”, ressalta.

A partir de agora, o ingresso de animais oriundos dos estados do Maranhão e Piauí no Tocantins somente será permitido após um isolamento de 30 dias, ainda na origem, e mais 14 dias no destino, além da realização de testes sorológicos para a aftosa.

Segundo informações do Ministério da Agricultura, a solicitação para o reconhecimento internacional da área como zona livre de febre aftosa com vacinação foi encaminhado à OIE - Organização Mundial de Saúde Animal. Ainda de acordo com o Mapa, o relatório brasileiro deverá ser analisado por uma comissão científica em fevereiro e se aprovado, o reconhecimento ocorrerá durante a assembleia geral da entidade, no mês de maio.

Área

A zona tampão foi criada no ano 2000 para proteger a zona livre de febre aftosa com vacinação, status sanitário alcançado pelo Tocantins. Os sete municípios tocantinenses foram incluídos por fazerem limite com áreas com classificação para a febre aftosa inferior à do Tocantins, como os estados do Maranhão e Piauí, que na época eram classificados como alto risco.

Com um rebanho de 133.603 cabeças de gado, distribuídas em 2.267 propriedades rurais das 2.771 cadastradas, na última campanha de vacinação contra a febre aftosa na zona tampão (realizada em maio) a média de cobertura vacinal no rebanho dos sete municípios foi de 99,53%.

Fonte: Assessoria de Imprensa Adapec