Polí­tica

Foto: Divulgação

O clima do Partido dos Trabalhadores esquentou depois que Solange Duailibe (PT) não teve o apoio do para a presidência da Assembleia Legislativa do Tocantins. A parlamentar já afirmou que deixará a legenda em virtude da situação gerada pelo processo eleitoral da AL.

Enquanto Solange cogita a saída da legenda, o prefeito de Palmas, Raul Filho (PT) quer que o atual presidente Donizeti Nogueira dê explicações à instância nacional do partido sobre o fato da legenda ter negado apoio à Solange.

Raul afirmou em entrevista ao Portal CT nesta quarta-feira, 2, que fará um documento solicitando à Executiva Nacional que peça as informações. O prefeito frisou ainda que a disputa na Assembleia foi marcada por questões pessoais do partido com relação à deputada Solange.

Já Donizeti, não exitou em culpar Solange pela derrota da legenda na mesa diretora. O partido negou apoio à Solange e preferiu votar com os governistas e ainda assim não conseguiu eleger Amália Santana e José Roberto Forzani para a mesa diretora.

O prefeito de Colinas do Tocantins, José Santana Neto que foi também alvo das críticas do prefeito Raul Filho, salientou que com a saída de Solange o partido vai buscar na justiça o direito do mandato “O Raul e a Solange trabalham em um projeto particular. O mandato dela é do PT e ela não se elegeu sozinha”, frisou.

Santana repudiou a postura do prefeito Raul Filho. “Ele não discute as coisas internamente, faz discussão política interna através da mídia. Para ele se não for do Raul Esporte Clube não serve”, frisou.

Para o prefeito, Solange foi candidata da oposição e não do partido. “Ela mal vai às sessões não participa das comissões, o PT tomou a posição correta”, disse.

O prefeito Raul Filho já afirmou que não tem pretensão de sair do partido. “Ele pode ficar à vontade para sair”, completou.

Alguns vereadores da base do prefeito da capital estão de acordo com a postura de Raul. Por outro lado os dois deputados, José Roberto e Amália preferem deixar para o partido tais discussões.