Polí­tica

Foto: Divulgação

Em seu primeiro pronunciamento à frente do plenário da Assembleia Legislativa na manhã desta quinta-feira, 10, o deputado Wanderlei Barbosa (PSB) respondeu às declarações dadas pelo deputado Raimundo Palito (PP) na manhã de ontem, quarta-feira. Na ocasião, Palito informou que a bancada governista pretende usar das prerrogativas regimentais para barrar as votações de matérias da oposição.

Em seu discurso, o deputado frisou que não é intenção do bloco oposicionista atravancar os trabalhos da Casa de Leis do Tocantins. “Não é de nossa vontade barrar todas as votações que vem do governo. Não pode vir um deputado dizer que estamos obstruindo. Ninguém pode falar por nós. Nós não vamos obstruir nada que for do interesse do Estado”, disse.

Ainda indignado com as declarações de Palito, sem citar nomes, Barbosa declarou que o governo não poderia tratar desta forma as matérias encaminhadas pela oposição. “Não podemos de nenhuma forma atropelar uma bancada por ser contrária a presidência. Não somos deputados de oposição por acaso. Nós começamos este comportamento e vamos manter neste posicionamento”, completou.

Barbosa destacou que a intenção da oposição ao encaminhar as resoluções que alteram o Regimento Interno, era somente restabelecer as premissas originais da carta magna do Legislativo do Tocantins. “Resgatar as prerrogativas regimentais do primeiro e do segundo secretários desta Casa”, informou.

Originalmente a indicação do membros das comissões permanentes da Casa era de responsabilidade da Mesa Diretora; hoje, esta premissa cabe exclusivamente ao presidente da Assembleia. “Queremos com isto mostrar que estamos atentos com o nosso papel, não de opositores, mas de cidadãos do povo deste Estado”, relatou.

Defesa de Raul

O deputado do PSB ainda aproveitou seu tempo à frente do plenário da AL para defender a postura do prefeito de Palmas, Raul Filho (PT) com relação ao aumento da tarifa do transporte coletivo. Atualmente o valor do transporte está R$ 2,20; aprovado o aumento, a tarifa sobe para R$ 2,42.

Sobre a prefeitura, o deputado afirmou que nunca foi favorável aos aumentos nas tarifas do transporte público da capital. Mas neste caso, segundo Barbosa, o aumento não é de responsabilidade exclusiva da prefeitura. “Eu defendo que o aumento de 10% é acima da média. Mas temos hoje um conselho de transito com representantes do povo palmense”, completou.