Saúde

Foto: Wilson Rodrigues

Uma parceria público privada para administração de toda a rede hospitalar no Tocantins foi a pauta da audiência do presidente da Confederação Misericórdia do Brasil (CMB), José Reinaldo Nogueira de Oliveira Júnior, com o governador Siqueira Campos, na tarde desta segunda-feira, 21. O presidente, eleito há pouco mais de 15 dias, estava acompanhado do Padre Querubim, da Congregação São Camilo, com grande experiência em administração hospitalar, da Irmã Rita Cecília, presidente da Santa Casa de Misericórdia de Anápolis (GO) e do superintendente da CMB, Paulo Carrade.

Preocupado com o atendimento à população, o governador solicitou à Confederação Misericórdia do Brasil uma proposta de custos e condições para efetivar a parceria com o propósito de administrar toda a rede pública de hospitais no Estado. Para isto, a CMB fará um estudo minucioso sobre as condições de funcionamento e atendimento das unidades.

“Não podemos deixar para depois a solução dos problemas enfrentados pela saúde pública no Tocantins. O cidadão deve ser tratado com respeito. Quero é que nós nos unamos para resolver este problema”, disse o governador Siqueira Campos. O presidente da Confederação garantiu que compartilha do mesmo interesse e que entidades, como a São Camilo, com experiência também no Tocantins, estão aptas a colaborar com o Governo. “Os melhores resultados são obtidos onde há parceria com o Estado. Nesse trabalho há comprovação de um aumento de 20% na produtividade e redução de 30% nos custos”, garantiu José Reinaldo.

O governador assegurou que, com a parceria público-privada, é possível, além de atender bem a população, fortalecer o servidor público com valorização e envolvimento na parceria. Siqueira Campos também ressaltou que sem o desperdício e o mau uso do dinheiro público é possível prestar um serviço de alta qualidade na saúde, bem assim em todas as áreas do Governo. “O dinheiro é do povo e tem que ser entregue a ele com um serviço público de qualidade, proteção e atendimento”, disse o governador.

Fonte: Secom