Estado

Foto: Thais Ramalho

A Federação das Indústrias do Estado do Tocantins - Fieto, através do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial - Senai Tocantins e a Secretaria Estadual de Segurança, Justiça e Cidadania, firmaram, em solenidade na tarde desta quarta-feira, 2, Termo de Cooperação.

O objetivo é realizar qualificação profissional visando reintegração social de presos do Centro de Internação Provisória da Região Sul- CEIP/Sul e na Unidade de Semiliberdade, em Gurupi.

Em entrevista, o presidente do Sistema Fieto, Roberto Magno Martins Pires, disse que além de alavancar as indústrias do Estado, a Federação tem também a missão de responsabilidade social. “O Sistema Fieto faz a sua participação social, que, aliás, é dever de todos. Vamos capacitar os reeducandos em quatro cursos que contam com bastantes oportunidades de emprego no mercado de trabalho. O motivo nobre que nos alegra é de que essas pessoas podem ter a facilidade de se reintegrar à sociedade. Estamos sempre à disposição para ampliar parcerias”, disse o presidente Roberto Pires.

Para o secretário de Segurança, Justiça e Cidadania do Estado do Tocantins, João Costa Ribeiro Filho, a parceria trará melhorias no sistema prisional tocantinense. “São ações como essas que contribuem para a melhoria do estado. Estamos cientes de que a Secretaria de Segurança não irá agir sozinha. Precisamos da participação da sociedade e de mais ações sociais como essa. Precisamos salvar as pessoas, dentro e fora das cadeias”, diz o secretário.

Cursos

O Senai irá realizar quatro turmas de curso de qualificação profissional, com carga horária de 160 horas, sendo: Pintor de Obras, Instalador Hidráulico, Auxiliar de Recursos Humanos e Assistente Admistrativo.

As turmas de Pintor de Obras e Instalador Hidráulico serão compostas de no máximo, 20 alunos por turma. Turmas de Auxiliar de Recursos Humanos e Assistente Administrativo serão compostas de no máximo, 30 alunos.

Para ingressarem nos cursos, os alunos devem ter idade mínima de quatorze anos e possuírem ensino fundamental incompleto (no mínimo 5ª série).

Fonte: Assessoria de Imprensa Fieto