Polí­tica

Foto: Koró Rocha

Em pronunciamento à frente do plenário da Assembleia Legislativa na manhã desta terça-feira, 19, o deputado José Roberto Forzani (PT) contestou as alegações da deputada Solange Duailibe de que sua expulsão, junto a do prefeito de Palmas, Raul Filho, do Partido dos Trabalhadores, teria sido por motivações pessoais.

De acordo com o deputado, a decisão de excluir Solange e Raul do PT foi tomada de acordo com as normas do regimento do partido e em comum acordo entre todos os membros do Diretório Regional do PT. “Ninguém é obrigado a participar de uma organização. Mas a partir do momento que participa, é obrigado a respeitar as regras”, disse.

O deputado ainda destacou que a opção pela expulsão dos políticos do PT não foi exclusivamente pelo fato de terem apoiado a candidatura do senador João Ribeiro (PR) nas eleições do ano passado. “Ambos não apoiaram a candidatura do partido”, completou.

José Roberto, se referindo às últimas ações de Solange, frisou que foram Raul e Solange que não respeitaram os posicionamentos do partido no que diz respeito às determinações partidárias nas eleições do ano passado e da Assembleia Legislativa, neste ano. “Precisa ficar bem claro que quem não acompanhou a posição do partido foi a deputada”, disse.

Presidência da Assembleia

Outro evento que contribuiu para o desgaste na relação da deputada com o PT, foi no caso da eleição para a presidência da AL, em fevereiro deste ano. Na ocasião, a deputada era candidata ao cargo maior do Legislativo, enquanto o PT apoiava a candidatura do deputado Raimundo Moreira (PSDB).

Segundo o deputado, Solange teria decidido se candidatar ao cargo depois das definições petistas sobre os apoios no pleito. “Ela tomou a decisão de se candidatar depois que o partido já havia decidido”, disse.

Vontade de sair

O deputado do PT lembrou das últimas declarações de Solange que deram conta da sua vontade em deixar o partido e ingressar no PSD – nova legenda criada este mês.

De acordo com José Roberto, por diversas vezes a deputada já colocou sua posição em sair do PT. “Imagino que isso seja o melhor para a deputada, para o prefeito e para o Partido dos Trabalhadores. A maneira pode não ter sido a melhor. Mas tomamos uma decisão coletiva, respeitando nosso posicionamento, o regimento do partido”, disse.