Saúde

Foto: Divulgação Imagem da web de um modelo de angiógrafo Imagem da web de um modelo de angiógrafo

Em maio de 2002, chegava ao Hospital Dom Orione (HDO), o angiógrafo digital, que viria a auxiliar os médicos do setor de cardiologia a realizar exames e diagnósticos precisos em pacientes do setor de Angiografia e Hemodinâmica da Unidade. O aparelho de tecnologia avançada foi adquirido através de um convênio via Ministério da Saúde (MS), em parceria com a Secretaria Estadual da Saúde (Sesau), Lar de Emmanuel e recursos da própria instituição hospitalar, e custou cerca de 1,2 milhão de dólares.

Na época, o apoio do Sistema Único de Saúde (SUS), foi fundamental para o funcionamento do serviço de Hemodinâmica do HDO, onde eram feitos em média 10 exames diariamente. Além desse setor, foram beneficiados também pacientes que passaram pelo Centro Cirúrgico e UTI-Cardio.

Benefício

O Secretário Estadual de Saúde, à época o médico Eduardo Medrado, contribuiu positivamente para o funcionamento do setor no Hospital. Em entrevista aos jornais da época, o médico intervencionista e hemodinamicista, vindo de Minas Gerais para trabalhar no Tocantins como responsável do setor, Sandro de Oliveira Sacre, assegurou que o equipamento de tecnologia de primeiro mundo, só existia em algumas capitais do país.

O novo aparelho beneficiou o serviço de cardiologia e também outras especialidades da Medicina, tais como a Nefrologia, a Cirurgia Vascular e a Neurologia, confirmando, assim, Araguaína como referência em saúde no diagnóstico e tratamento de doenças cardíacas.

Números

Na última contagem, desde sua fundação, em 25 de junho de 2002, até hoje, segundo dados estatísticos do Setor, já foram realizados mais de 7 mil procedimentos em exames e intervenções, mais de 810 Angioplastias e cerca de 500 Procedimentos de Cirurgia Vascular. O Setor contabiliza um percentual de 99,99% de casos de sucesso.

Fonte: Ascom HDO