Economia

Foto: Divulgação

O Banco da Amazônia comemora 69 anos de fundação amanhã, sábado, dia 9 de julho. Para comemorar o aniversário, a instituição promoveu nesta sexta-feira, o Seminário “Solução Capaf” no auditório Rio Amazonas, para prestar esclarecimentos sobre o projeto de reestruturação da Caixa de Previdência Complementar do banco que está em andamento e tirar dúvidas dos participantes ativos, aposentados e pensionistas.

O evento foi realizado pela Capaf, em parceria com o banco e apresentou a experiência de caixas de previdência complementar de entidades como a PREVI (Banco do Brasil), CAPEF(Banco do Nordeste), e CAFBEP (Banco do Estado do Pará). Teve ainda a participação da Associação Nacional dos Participantes em Fundo de Pensão (ANAPAR) e do Consultor Jurídico da CAPAF, Dr. Ophir Cavalcante Júnior, quefalou a respeito da atuação do Estado na fiscalização da gestão dos fundos de pensão.

Além disso, houve a abertura da exposição “O Banco da Amazônia vai muito além da conta”, no Espaço Cultural da instituição, mostrando fotos e vídeosinstitucionais de campanhas, negócios e de contribuições do banco em diversos segmentos como cultura, esporte, economia, turismo, dentre outros.

A atuação do banco na região

A instituição realiza importantes contribuições que atingem diretamente a vida de milhares de moradores da Região Amazônica por meio da concessão de patrocínios e da aplicação de crédito em projetos das mais variadas áreas como cultura, turismo, economia e esportes, dentre outros.

No exercício de 2011, o Banco da Amazônia disponibiliza um total de R$ 6,8 bilhões de recursos financeiros para toda a região. Hoje, a instituição conta com uma rede de atendimento com 113 agências com atuação em todos os municípios dos estados da área de abrangência da Amazônia Legal, além do Distrito Federal e São Paulo.

Além das fontes de recursos existentes de financiamento, a instituição realiza várias ações que incluem: o FNO Itinerante, forma de levar crédito aos mini, micro e pequenos empreendedores dos municípios da região, desassistidos de crédito; parceria com o Sebrae para promoção de seminários nos estados para divulgação das linhas de crédito existentes; criação de novos produtos para empresas a exemplo do Amazônia Giro MPE, dentre outras.

Investimento em cultura e microcrédito

O Banco também investe na área cultural, por meio do programa Amazônia Mais Cultura, em parceria com o Ministério da Cultura, que visa prospectar negócios com micro, pequenas, médias e grandes empresas e empreendimentos da economia solidária do mercado cultural brasileiro, melhorando o acesso de todos à produção e à expressão cultural.

Um exemplo de investimento cultural é o projeto "Quinta Cultural", que é realizado pelo banco há onze anos e promove apresentações musicais, áudios-visuais, de teatro e dança, sempre valorizando o talento regional, em espetáculos cujos ingressos são trocados por alimentos não-perecíveis, sorteados entre entidades de assistência sociais previamente cadastradas no Banco.

Investe ainda no microcrédito com o programa Amazônia Florescer, que permite aos trabalhadores informais terem acesso ao crédito, supervisionados por equipes qualificadas, que contribuem para a prosperidade dos negócios e a entrada na legalidade.

Parceria com o Governo Federal

A instituição também participa ativamente dos planos e programas do Governo Federal. Um deles é a Mutirão Cidadania Xingu, que integra o Plano Brasil sem Miséria. A iniciativa promoverá ações de desenvolvimento sustentável nos onze municípios impactados pela Usina Hidrelétrica de Belo Monte e vai levar atendimento ao público para a obtenção de documentos tais como CPF, RG, títulos de propriedade de terra, dentre outros documentos necessários no exercício da cidadania. O Banco vai promover palestras para orientar o acesso ao crédito com os recursos do FNO e vai atender os micros empreendedores individuais micros e pequenos empresários e agricultores familiares. A Operação se inicia no município de Altamira-PA, nos dias 3 e 4 de agosto e segue até 15 de outubro de 2011.

Reconhecimento

O Banco da Amazônia recentemente obteve reconhecimento internacional da Associação Latino-americana de Instituições Financeiras de Desenvolvimento (ALIDE) com o Prêmio ALIDEVERDE, pelo trabalho desenvolvido com o Programa de Financiamento para Manutenção e Recuperação da Biodiversidade Amazônica (FNO -Biodiversidade).

A premiação ocorreu durante a 41ª Reunião Ordinária da Assembléia Geral da ALIDE, que reúne 80 membros da América Latina e Caribe. O prêmio foi entregue ao presidente do Banco, Abdias José de Sousa Júnior, no Hotel Sheraton-Asunción, em Assunção, no Paraguai, no mês de maio.

O objetivo principal do prêmio ALIDE é reconhecer os bancos de desenvolvimento da América Latina e Caribe, que contribuem para o desenvolvimento econômico e social e que também visam o progresso, conservando e/ou preservando o meio ambiente. A categoria ALIDEVerde é destinada para instituições financeiras que praticam programas de desenvolvimento sustentável.

Fonte: Assessoria de Imprensa Banco da Amazônia