Economia

Foto: Juliano Ribeiro

Com uma capacidade total de produção de duas mil toneladas de grãos por dia, a primeira planta esmagadora de soja da Granol no Tocantins será instalada no município de Aguiarnópolis, desenvolvendo a produção de todo o Tocantins. Em reunião no final da tarde dessa terça-feira, dia 27, os detalhes para a implantação da empresa foram apresentados pelo presidente da Granol, Juan Diego Ferrés, ao secretário da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Agrário, Jaime Café. O encontro aconteceu no gabinete da Seagro e contou com a participação do subsecretário de Indústria e Comércio, Pedro Ferreira, e do subsecretário da Fazenda, João Abadio.

Além da esmagadora instalada em Aguiarnópolis, o presidente da Granol informou que serão instaladas outras unidades de recolhimento e armazenamento dos grãos, como em Figueirópolis, Porto Nacional e Dianópolis. No momento, Café convidou o empresário para sobrevoar a região da garganta, que faz divisa com o estado da Bahia, nesta sexta-feira, dia 29, verificando in loco as necessidades para a implantação da unidade naquele local.

Segundo o presidente da Granol, ao todo serão investidos no Tocantins cerca de R$ 380 milhões, nas três fases de instalação da esmagadora, gerando cerca de 600 empregos diretos e três mil indiretos. “É um investimento a longo prazo em uma região que ainda não tem muita estrutura, mas é um local privilegiado para escoamento da produção com os portos da hidrovia e a ferrovia Norte-Sul”, disse o empresário, Juan Ferrés.

As obras da esmagadora de soja da Granol serão lançadas oficialmente nesta quinta-feira, dia 28, no loteamento Estreito, Km 02, da Ferrovia Norte-Sul, no município de Aguiarnópolis, no norte do Estado.

Primeira etapa

A primeira etapa da Granol será concluída em três anos e abrange o funcionamento inicial da esmagadora de soja, que terá capacidade de mil toneladas por dia. A segunda fase compreenderá a verticalização da produção com a fabricação de óleos alimentícios e também de biodiesel. Já a terceira etapa focará o aumento da capacidade de produção para duas mil toneladas e também atuar na diversificação de culturas, como macaúba.

Para atender toda essa demanda que deve surgir com a inauguração da Granol, o empresário informou que pretende desenvolver ações de incentivo para os produtores rurais abastecerem a esmagadora. Além disso, a Granol também tem interesse em capacitar a mão-de-obra local. “Vamos fazer convênios, formas de financiamento para estruturar a formação e também uma forma de agregar os agricultores familiares na proposta”, contou.

O secretário Jaime Café explicou que o agronegócio tocantinense tem muito a ganhar com a implantação da Granol. “Além de agregar valor ao produto daqui, teremos o subproduto que poderá ser utilizado na alimentação de animais, como frango e suínos, fomentando essas criações também. Muitas vezes o empresário esbarra na ração para criar os animais já que aqui não temos essa produção”, explicou o secretário.

Na ocasião, o presidente da Granol afirmou que tendo logística e demanda para a ração, a empresa pode abrir uma segunda esmagadora de grãos no Tocantins em breve.

Fonte: Ascom Seagro