Estado

Foto: Frederick Borges

Comentando matéria da revista Veja onde mostra fotos de encontro com o ex-ministro José Dirceu num hotel em Brasília o secretário de Planejamento e Modernização da Gestão Pública, Eduardo Siqueira Campos (PSDB) frisou que não se vê em intriga sobre possível articulação contra a presidente Dilma Rousseff.

“Juntei dois vídeos sobre o Tocantins e algumas publicações sobre o nosso Estado, uma garrafa de vinho português e os coloquei em uma sacola”, salientou sobre uma sacola com a qual entrou para reunião com Dirceu e não saiu com ela.

“Sou um colecionador de rádios antigos, revistas velhas, obras de arte, bolachões de vinil, vinho e amigos. Aqui em Palmas e em todo Tocantins tenho alguns bons e poucos amigos que já receberam de mim alguma lembrança assim. Faz parte do meu jeito de ser e viver”, completou dizendo que todos os seus adversários políticos estão no Tocantins.

Veja a íntegra da nota encaminhada pelo secretário:

NOTA

Procurado por um repórter da revista Veja na última quinta-feira, respondi algumas perguntas, entre as quais: Qual era a minha relação com o ex-ministro José Dirceu? Respondi que mais de 20 anos de amizade nos unia. Também foi perguntado se havia me encontrado com o ex-ministro este ano. Respondi que sim, por várias vezes, em diferentes locais, sem saber precisar exatamente qual havia sido o nosso último encontro. E sem dizer-me a data e nem o local e sem que eu pudesse ver a foto, perguntou-me se eu havia levado algo para o encontro. Respondi que sem a data e o local seria difícil precisar se levara algo, mas que se houvesse tempo para que eu revisasse minha agenda, com certeza iria poder esclarecer.

Finalmente, publicada a revista, com a foto, data e local do encontro, esclareço:

Precisamente no ano de 1991, reeleito Deputado Federal, assumi a Liderança do PDC, ano em que travei a amizade que perdura até os dias de hoje com o Ex-Ministro.

De lá para cá jamais deixei de receber um cumprimento do amigo nos dias do meu aniversário, assim como de poder retribui-los, não importando se o Presidente da República era o Fernando Henrique Cardoso, Luis Inácio Lula da Silva ou mesmo a Presidente Dilma.

Apenas para tornar tudo ainda mais claro, em pronunciamento da Tribuna do Senado, o então Líder do meu Partido, o ex-senador Athur Virgilio Neto, afirmou que pôde encontrar-se com o então Ministro-Chefe da Casa Civil do Governo Lula, José Dirceu, em minha casa em Brasília, momento em que oposição e Governo discutiam a Reforma Tributária e Previdenciária, ambas aprovadas nos anos de 2003 e 2004.

Sou interlocutor de muitos líderes de diferentes partidos e, desta condição, o mínimo que posso fazer é orgulhar-me. Nesses anos aprendi a ter amizade e respeito pelas pessoas, independente de cores partidárias.

No referido encontro, publicado pela Revista Veja, ao receber o convite do Ex-Ministro, juntei dois vídeos sobre o Tocantins e algumas publicações sobre o nosso Estado, uma garrafa de vinho português e os coloquei em uma sacola.

Assim que li a reportagem sobre uma suposta trama que pretende desestabilizar e derrubar o Governo Dilma, sinceramente, não me vejo nesta intriga.

Sou um colecionador de rádios antigos, revistas velhas, obras de arte, bolachões de vinil, vinho e amigos. Aqui em Palmas e em todo Tocantins tenho alguns bons e poucos amigos que já receberam de mim alguma lembrança assim. Faz parte do meu jeito de ser e viver.

Espero assim ter tranquilizado a Presidente Dilma. Os meus adversários políticos estão todos aqui no Tocantins! E, para minha alegria, estão diminuindo a cada dia.

Eduardo Siqueira Campos

Por: Redação

Tags: Eduardo Siqueira Campos, José Dirceu