Polí­tica

Foto: Divulgação

O clima interno no PT continua ainda sem consenso e a divisão de grupos ainda é realidade na legenda. A deputada estadual Solange Duailibe em entrevista ao Conexão Tocantins salientou nesta sexta-feira, 30, que estava torcendo para que o consenso na legenda desse certo principalmente com relação ao Diretório Metropolitano.

Na sexta-feira, 23, como noticiou o Conexão Tocantins, uma reunião com representantes de tendências internas do partido e inclusive com o prefeito Raul Filho selou a unidade em torno do nome do ex-candidato a deputado federal José Messias da Caixa. Segundo Solange, apenas uma tendência não esteve na reunião.

“Eu estava torcendo para que o consenso desse certo. Um confronto nesse momento vai acirrar a disputa que existe no partido”, salientou a parlamentar que questionou a mudança com relação à decisão que teria sido tomada no encontro. “O partido não fez valer a palavra do grupo gerando desconfiança e insegurança”, salientou.

Segundo a parlamentar, parece existir uma ação coordenada por parte de alguns do partido para enfraquecer o prefeito Raul Filho e seus aliados. “O partido quer colocar o Raul numa situação difícil”, frisou, se referindo à instabilidade que alguns nomes do partido com pretensões para 2012 estão sentindo com relação a espaço na legenda.

Efeitos

Para a deputada o esvaziamento do partido é o maior efeito da atual divisão interna. “O partido está perdendo candidatos de potencial de voto, a chapa proporcional para o próximo ano está fraca. Muitos estão saindo por não ter confiança no atual grupo”, argumentou. A parlamentar diz que lamenta a atual situação do partido. “Eu vejo que o PT poderia ser mais forte”, diz.

PSD

Questionada sobre a possibilidade de ir para o PSD, partido sob a coordenação da senadora Kátia Abreu, a deputada frisou que tem simpatia pelo partido. “O PSD me deu muito apoio no momento em que o partido me expulsou sem motivos”, conta. A parlamentar foi uma das que assinou a ata de fundação do novo partido.

No entanto, Solange afirma que tanto ela como o prefeito gostam da linha ideológica do PT e por enquanto pretendem permanecer. Qualquer decisão para deixar os quadros da legenda, segundo a deputada, será tomada em grupo. “Eu vejo que não há espaço no PT, mas a decisão não pode ser tomada de maneira isolada. Nossa vontade é de permanecer”, disse.

Desfiliações

Nesta sexta-feira o vereador Milton Neris protocoloupor volta das 15 horas seu pedido de desfiliação do PT no Diretório Metropolitano e no Juizado Eleitoral da 29ª Zona Eleitoral de Palmas. Junto com o vereador, desfiliaram também José Alberto Guimarães (Gordo), Amaurismar Mota Sousa (Mauro Mota) e Raimundo Gonçalo Mendes Vieira (Raimundo da Balsa).

Atualizada às 08h17 do dia 01/10/11