Cultura

Foto: Divulgação

Durante os próximos dois meses, os artistas Vanessa Michelis e Manuel Andrade vão trocar as ladeiras de Belo Horizonte (MG) pelo ensolarado cerrado tocantinense. Selecionados para a 3ª edição do Circuito de Residências em Educação Arte e Tecnologia do projeto Telinha de Cinema – ResTelinha, os dois artistas mineiros vão desenvolver bancos sonoros de efeitos e texturas, a partir da criação de sintetizadores e objetos sonoros analógicos e digitais. O objetivo é compartilhar com jovens artistas de Palmas técnica, tecnologia e experiências estéticas.

As vagas são dedicadas a adolescentes egressos do Curso de Vídeo de Bolso do próprio Telinha de Cinema, além de músicos, produtores e acadêmicos interessados. A inscrição é gratuita e deve ser feita pelo site http://www.res-telinha.art.br. A iniciativa é realizada pela ONG Casa da Árvore, com apoio da UFT e o patrocínio da Vivo e da Petrobras, através do programa Desenvolvimento e Cidadania.

Os encontros acontecerão na sede do projeto, que fica no Jardim Aureny I, bairro da capital onde os artistas residirão pelo período. Segundo Vanessa Michelis, a expectativa é de “levar aos participantes a compreensão de que a gravação de sonoridades do cotidiano e construção de circuitos eletrônicos simples são potencialmente fontes para composição sonora”.

O processo desencadeado pelos artistas residentes pretende chegar ao desenvolvimento de sintetizadores e objetos sonoros analógicos, além de um banco com trilhas, efeitos e texturas que poderão ser usadas das mais diversas formas, como em instalações e intervenções artísticas, além de composições audiovisuais e performances.

ResTelinha

O Circuito de Residências em Educação, Arte e Tecnologia é uma estratégia do projeto Telinha de Cinema para fazer com que os artistas brasileiros, que experimentam processos criativos mediados por tecnologias, possam fazer do processo de produção das suas obras um processo de compartilhamento e formação para a arte e tecnologia.

Em 2011 foram realizadas ainda as residências “Experimentos”, com Nacho Durán (ESP), e “Interfaces da Era Digital”, com Kelly Lima (PE). Outras quatro edições serão realizadas em 2012, nas cidades de Goiânia e Palmas.

Para estimular a apropriação artística e pedagógica de novas tecnologias, o Telinha de Cinema desenvolve ainda o Curso de Vídeo de Bolso, Ciclo de Palestra, Reaplicação Escolar, além do desenvolvimento de mini-cursos a distância para formação de professores. (Assessoria de imprensa da ONG)