Saúde

Foto: Divulgação

Os 139 municípios do Estado estão sendo orientados a iniciar suas Campanhas de Vacinação Anti-Rábica Animal a partir da próxima segunda-feira, 9. O Ministério da Saúde disponibilizou 290 mil doses da vacina e o Estado dará aos municípios seringas, agulhas, cartaz, bonés, descarpak e isopor. A meta da Sesau - Secretaria Estadual da Saúde é vacinar 217.505 cães e 57.382 gatos.

A campanha inicia no dia 09 de janeiro, com término no dia 17 de fevereiro. O dia “D” de mobilização, em todo o País, será dia 04 de fevereiro.

De acordo com o gerente de Núcleo de Zoonoses, Rodolfo Braga, é importante que a população leve seus animais até os postos de saúde para receber a vacina e prevenir a doença, garantindo a saúde, não só dos animais de estimação, mas também de toda a família. “Só vamos conseguir controlar a raiva se todos os animais forem vacinados. Só assim, podemos prevenir a doença que é letal”, disse.

A raiva é uma doença viral, transmitida ao homem por mamíferos, através da inoculação do vírus rábico que existe na saliva do animal infectado, principalmente pela mordedura, como também por arranhadura e/ou lambedura.

Desde a criação do Estado, foram registrados 7 casos de raiva humana e 104 casos de raiva animal. A vacinação no Tocantins é importante por haver casos de raiva humana em Estados vizinhos, como aconteceu no Maranhão em 2011, onde foram registrados dois casos de raiva humana.

Alguns cuidados podem ajudar a evitar a raiva como:

Nunca deixe seu animal solto na rua, evite contato com animais desconhecidos, não separe animais que estejam brigando, cuidado ao pegar animais machucados.

Em caso de mordidas ou ferimento por animais domésticos ou silvestres, mesmo se eles tiverem vacinados contra a raiva, lave imediatamente o ferimento com água e sabão e coloque álcool iodado ou Povidine.

No caso de agressão por cão ou gato, procure saber quem é o dono do animal, não matar o animal e, sim, prendê-lo em lugar seguro e em observação durante 10 dias, recebendo água e alimentação normalmente. Procure a Unidade de Saúde mais próxima e informe se o animal adoecer, morrer, desaparecer ou mudar de comportamento. A pessoa atacada por esses animais não deve abandonar o esquema profilático.

Os sinais indicadores da raiva animal são: mudança de hábitos, salivação abundante, dificuldades para engolir e paralisia das patas traseiras. Nos cães, latido diferente do normal “uivo roco” e os morcegos podem voar durante o dia. (Ascom Sesau)