Saúde

Foto: Divulgação

Em 2011, os hospitais da rede pública estadual foram responsáveis por 67% dos partos realizados no Tocantins. De quase 14 mil nascimentos, 59% dos bebês veio ao mundo por meio do parto normal. Este índice supera a média nacional que é de 48% de nascimentos por parto normal, de acordo com dados do MS - Ministério da Saúde em 2010.

Segundo a coordenadora de Ciclos de Vida da Sesau – Secretaria de Estado da Saúde, Anna Crystina Mota B. Bezerra, a melhora nos índices de partos normais é devido à implementação da Sesau – Secretaria de Estado da Saúde do Novo Modelo de Assistência Obstétrica e Neonatal e adoção nos serviços das boas práticas de atenção ao parto e nascimento. 

No Tocantins, o incentivo para que as gestantes optem pelo parto normal começa na Atenção Básica. A Sesau realiza, constantemente, capacitações com profissionais das secretarias municipais a fim de desenvolver uma rede de cuidados às gestantes, dessa forma elas são bem orientadas em relação ao momento do nascimento dos filhos, o que ajuda a se sentirem mais seguras.

Em Palmas, o HMPDR – Hospital e Maternidade Pública Dona Regina, que é referência no Estado, conta com uma equipe multiprofissional capacitada nos princípios da humanização para atender, incentivar e colaborar na assistência ao parto humanizado. Em 2011, a unidade foi responsável por 4.246 dos 13.971 partos realizados nos hospitais da rede pública estadual. Um dos projetos desenvolvidos no local é o de Vinculação das gestantes, que recebe simultaneamente as usuárias que pretendem dar a luz no hospital Dona Regina e seus acompanhantes.

Conforme a coordenadora do setor de Humanização do Hospital, Paula Lima, “Eles têm a oportunidade de realizarem visitas e participarem de Roda de Conversa, para conhecer a maternidade e seus profissionais sobre preparação do parto”, ressalta.

Segundo o médico Ginecologista, Obstetra e Ultrassonografista José Manoel, que atende no HMPDR, “o parto normal é importante e recomendado por apresentar os melhores resultados maternos e Peri natais, com diminuição dos índices de mortalidade materna e fetal”, esclarece. O médico lembra ainda que o parto normal é menos complicado que um evento cirúrgico (cesariana), pois há também uma diminuição dos quadros de hemorragias e infecções pós-parto, que são as principais causas de mortalidade materna. “Além, de estimular o contato pele a pele, entre mãe e filho, na 1ª hora do pós-parto, incentivando e estabelecendo de maneira mais segura ao aleitamento materno”, destaca. 

A faturista, Deuzilene Marques, 27 anos, escolheu a unidade para dar luz à Nicolas Manuel Nascimento Marques, seu primeiro filho, que nasceu com mais de três quilos e com 51 cm. Ela conta que desde o início, foi orientada pela equipe multiprofissional a ter parto normal. “Era tudo que eu queria, e graças a Deus tudo deu certo, senti muito segura, só tenho a agradecer o trabalho de toda equipe do hospital Dona Regina”, destaca. Desde a entrada no Hospital, o assistente administrativo, Eliel Marques, acompanhou integralmente o atendimento a esposa, Deuzilene. Para ele, que nos falou emocionado, logo após o nascimento do filho, Nicolas Marques, o momento foi mágico. “A coisa mais maravilhosa que aconteceu, valeu à pena esperar, pois eu sempre quis participar desse momento, estou muito feliz”, afirma.

Benefícios do parto normal

Procedimento de baixo custo e baixo risco para mortalidade materno e fetal; Diminuição dos índices de hemorragia e infecção pós-parto; Índice de satisfação pós-parto melhor que o cirúrgico e estímulo maior ao contato pele a pele entre mãe e filho e conseqüentemente maiores taxas de aleitamento materno; Retorno às atividades normais mais rapidamente pela melhor recuperação pós-parto; Não gera limitação de paridade futura e melhora dos índices de dores pélvicas crônicas. Valorização da mulher pela sua capacidade fisiológica de gerar e parir seu próprio filho, gerando assim, uma melhora da auto-estima e capacidade de enfrentar as dificuldades do seu dia-a-dia.

Número de partos realizados no Tocantins

Dos 13.971 partos realizados na Rede Pública Estadual, 8.299 foram normais, sendo que o Dona Regina, foi o que realizou o maior numero de partos no Estado.

Rede Cegonha

O incentivo ao parto normal e às boas práticas do nascimento seguro e humanizado é uma das diretrizes apoiadas pelo programa federal Rede Cegonha de Atenção à Saúde Materno-Infantil, no qual o Tocantins ingressou oficialmente em novembro de 2011. O programa é a mais nova estratégia do MS no combate a mortalidade materna e neonatal, que visa implementar uma rede de cuidados para assegurar às mulheres o direito ao planejamento reprodutivo e a atenção humanizada à gravidez, ao parto e ao puerpério e às crianças o direito ao nascimento seguro e ao crescimento e ao desenvolvimento saudáveis. (Ascom Sesau)