Economia

O comitê da Cesta Básica de Palmas - CBP publicou na quinta-feira,12, pesquisa relativa à coleta realizada na última semana de março de 2012 onde se apurou o custo da cesta básica na capital do Tocantins, no terceiro mês do ano. De acordo com a consulta, o custo do conjunto de itens básicos da alimentação foi de R$ 175,03. Em relação ao mesmo período de 2011, quando o preço registrado foi de R$ 199,57, a pesquisa apontou uma redução de 12%.

Em relação a fevereiro deste ano, o custo da cesta básica decresceu em 19%. “Destacamos que este custo refere-se ao consumo de um indivíduo adulto em um mês”, destacou o economista Claudiney Leal, do Conselho Regional de Economia.

Já o custo para uma família formada por um casal e duas crianças, no mês de março de 2012, correspondeu ao valor de R$ 525,09. Segundo a pesquisa, este valor se refere ao consumo capaz de atender às necessidades alimentares básicas.

A consulta do Corecon apontou, ainda, que no último mês, a aquisição de uma cesta básica demandou do trabalhador que ganha salário mínimo o cumprimento de uma jornada de trabalho de 62 horas e 31 minutos.

Em relação ao ano passado, o Conselho Regional de Economia destaca os produtos da cesta básica que tiveram significativos aumentos em Palmas. De acordo com o Corecon, o vilão do prato do palmense foi o feijão, com um aumento de 64%, seguido pelo café (7%) e a margarina (5%).

Já os itens alimentícios que tiveram redução no preço ao consumidor foram a banana, com uma redução de 35%, seguida pelo pão francês (28%), açúcar (27%), óleo e carne (15%).

De acordo com o Conselho Regional de Economia, os preceitos constitucionais dizem que o salário-mínimo deveria contemplar as necessidades da família, conforme seu conceito. "Salário mínimo fixado em lei (...), capaz de atender às suas necessidades vitais básicas e às de sua família, como moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social[1]”, é o que consta na Constituição Federal de 1988.

O Corecon, com base nos valores da cesta básica, realizou o cálculo de quanto o tocantinense deveria receber mensalmente como salário mínimo para atender as necessidades básicas constantes na Constituição. “Calculamos o quanto deveria ser este salário-mínimo para região do Tocantins, para o mês de março de 2012. (...) o valor deveria ser de R$ 1.470,43 . Ou seja, 2,36 vezes o valor do salário-mínimo vigente de R$ 622,00”. (Com informações do Corecon-TO)