Polí­cia

Foto: Divulgação João Alves Feitosa, 73 anos foi vítima de golpe João Alves Feitosa, 73 anos foi vítima de golpe

A Polícia Civil, por intermédio da 5ª delegacia Regional do município de Guaraí, distante a aproximadamente 180 quilômetros da capital, Palmas, localizou por volta das 12h desta quarta-feira, 4, João Alves Feitosa, 73 anos de idade. O autônomo estava desaparecido desde as 16h30 da última segunda-feira, quando foi visto pela última vez nas imediações da agência bancária do Banco da Amazônia em Guaraí, após ter efetuado um saque de aproximadamente R$ 10 mil.

De acordo com informações prestadas pelo delegado regional de Guaraí, Edson José Lobato Borges, João Alves foi encontrado graças a denúncias anônimas de populares e ao rastreamento do chip do celular, em uma estrada rural com sentido ao município de Fortaleza do Tabocão, há aproximadamente 5 quilômetros do centro da cidade. João Alves estava muito debilitado e se encontrava dopado, já que os criminosos possivelmente ministraram alguma substância em sua bebida, configurando o famoso golpe “boa noite cinderela”.

A vítima estava desprovida de todos os seus pertences, inclusive um cordão de ouro, documentos pessoais e pouco mais de R$ 3 mil, valor que havia sobrado após João efetuar o pagamento de R$ 7 mil pela compra e venda de gado.

Segundo informações do diretor de Polícia do Interior, delegado José Rérisson Macedo, é possível que o autônomo tenha sido vítima do mesmo bando criminoso que vem agindo na região entre Araguaína e Miranorte, há algum tempo. O diretor de polícia se encontra em Guaraí por determinação do delegado chefe da Polícia Civil, José Eliú de Andrada Jurubeba, comandando os trabalhos de diligências e investigações, no sentido de apurar devidamente a autoria do crime contra o senhor João Alves, bem como prender o mais rapidamente a quadrilha que vem se utilizando desse expediente criminoso no Centro Norte do Estado.

O delegado Rérisson conclama a todas as pessoas que por ventura tenham sido vítimas do golpe “boa noite cinderela” ou que tenha um parente ou amigo que tenha sofrido com esse tipo de crime, para procurar a Polícia Civil, para que os policiais obtenham mais indícios que os levem à captura dos indivíduos responsáveis por essa modalidade criminosa. (Ascom SSP)