Estado

Foto: Aldemar Ribeiro

O governador Siqueira Campos lançou na manhã desta terça-feira, 10, como parte de eventos da Flit – Feira Literária Internacional do Tocantins –, o Fórum de Educação Profissional, numa tendência que vai ao encontro da demanda no campo econômico e social do Estado e do País, traduzida pelo crescente número de empresas que despertam interesse pelo Tocantins.

O ato instituindo o Fórum, que passa a ter como presidente o secretário de Ciência e Tecnologia, Luiz Carlos Borges da Silveira, ocorreu no auditório do Palácio Araguaia e contou ainda com a presença do secretário de Educação, Danilo de Melo Souza, secretário de Educação Profissional do MEC, Marcelo Machado Feres, demais membros de órgãos do Governo e da sociedade, integrantes do Fórum, que nasce com o compromisso de ser uma instância permanente.

Além de reforçar a necessidade do caráter permanente, Borges da Silveira diz ainda que o fórum não pode se caracterizar por superposição de diretrizes e funções, mas que seja capaz de discutir, planejar e propor ações. Com isso, ele ressalta que o papel do novo órgão deliberativo será o de atuar para tomar decisões reais e legítimas das demandas da comunidade escolar e da população, invertendo a ordem de políticas públicas impostas de cima para baixo.

Piscicultura e Agrotecnologia

Luiz Carlos Borges da Silveira destaca que até o final do ano, o Tocantins estará com um total de 35 centros de educação técnico-profissionalizantes. Até o momento são 21polos de educação técnica EAD- Educação a Distância, seis IFTO – Institutos Federais de Ciência e Tecnologia e, dentre as demais que serão instaladas, cinco estão previstas para os municípios de Tocantinópolis, Augustinópolis, Xambioá, Guaraí e Lagoa da Confusão, visando atender demanda de formação em piscicultura e agrotecnologia.

O secretário de Educação Danilo de Melo Souza respalda a preocupação geral do Governo quanto à qualificação técnica de mão de obra no Estado, já que constata que hoje o Tocantins vem importando pessoal de outros Estados, principalmente entre os jovens, ao mencionar o que vem ocorrendo com o polo agrícola de Pedro Afonso. Ele defende que haja racionalidade na prioridade ao ensino profissional, “mas racionalidade do ponto de vista que respeite efetivamente os recursos do contribuinte”.

O governador conclamou a todos os membros do Fórum, formado por mais de 20 secretarias, autarquias e entidades privadas e seus mais de 50 membros, e a sociedade para se engajarem na luta em favor da educação profissionalizante por ser esta também uma tendência de muitos países, como a Alemanha, que está conseguindo se livrar, em parte, dos efeitos da atual crise mundial, por ter investido pesado em educação profissional. (Secom)

https://mail.google.com/mail/u/0/images/cleardot.gif