Campo

Foto: Divulgação
 

O governador Siqueira Campos (PSDB) assinou, na tarde de quinta-feira, 30, em Lagoa da Confusão, o contrato de uma operação de crédito na ordem de US$ 99 milhões com o Banco Interamericano do Desenvolvimento (BID). O montante será destinado para a implantação da primeira fase do Programa de Desenvolvimento da Região Sudoeste (Prodoeste).

O evento aconteceu na Fazenda Diamante, localizada à cerca e 37 quilômetros do centro da cidade e contou com a participação da senadora Kátia Abreu (PSD), do secretário de Irrigação do Ministério da Integração Nacional, Guilherme Augusto Orair, de representantes do Banco mundial, de secretários, deputados, agropecuárias e autoridades locais.

O montante proveniente do Banco Mundial servirá para desenvolver um dos maiores projetos de agricultura irrigada do país. De acordo com o secretário executivo da Agricultura, Ruiter Pádua, na primeira etapa da obra serão investidos um total de US$ 165 milhões. “Além do dinheiro do BID o Governo do Estado também entrará com uma contrapartida no valor de US$ 65 milhões”, explicou ele.

A primeira etapa do projeto consiste na construção de uma barragem no rio Pium e outras três estações elevatórias espalhadas pelo Riozinho e também pelo Rio Pium. Os recursos também serão destinados para elaboração do projeto técnico, contratação de administradora privada, capacitação de pessoal, desenvolvimento do plano diretor de recursos hídricos e monitoramento das obras.

Depois de pronta, a primeira fase irá beneficiar 48 mil hectares de terras em propriedades situadas nos municípios de Lagoa da Confusão, Pium e Cristalândia. A estimativa é de que após a implantação dessa fase a produção da região supere a marca das 600 mil toneladas. “Nossa intenção é fazer com que o Prodoeste seja implantado totalmente, quando isso acontecer iremos ter 300 mil hectares de área irrigada, juntando isso com os 100 mil hectares que já temos, o Tocantins terá 400 mil hectares de área irrigada em região de várzea com uma produção estimada de mais de 4 milhões de Toneladas por ano”, explicou o secretário da Agricultura Jaime Café.

O especialista líder em recursos naturais do BID, John Horten, se disse encantando com o processo de produção sustentável no Tocantins e destacou que o Prodoeste tem como finalidade principal a geração de renda no Campo. “Essa operação foi feita com verbas universais e taxas de cambio internacionais e nós esperamos que esse projeto contribua com a geração de empregos na zona rural”, frisou ele.

O governador Siqueira Campos explanou sobre a importância da área para economia do Tocantins e ressaltou a magnitude do projeto. “Dentro de pouco tempo a área de várzea tocantinense a beira do Araguaia será a nova fronteira agrícola do País”, falou.
O projeto será desenvolvido em um prazo de cinco anos, mas de acordo com o Governador a intenção é de que tudo seja concluído em três.

Escoamento

Preocupado com o escoamento da produção da região, durante a solenidade o governador assinou duas ordens de serviços que visam o fortalecimento do sistema logístico do Tocantins. A primeira autoriza a contratação de uma empresa para desenvolver o projeto de construção do anel viário de Lagoa da Confusão. Já a segunda determina a realização de processo licitatório para a pavimentação de 48 quilômetros da TO-255, estrada que liga da cidade até Barrreira da Cruz.

A pavimentação da estrada, que tem um grande fluxo de caminhões, vai beneficiar o escoamento da produção de empresários rurais como Vitor Costa, proprietário da Fazenda Diamante. “A população da região comemora essa conquista. O agronegócio tem uma importância muito grande para o País. Nós, produtores, estamos fazendo nossa parte e é necessário que o Governo dê a sua parcela de contribuição”, destacou ele. A via custará R$ 92 milhões provenientes do Banco Mundial (Bird). (Secom)