Campo

Com uma produtividade maior que a média nacional, a cana-de-açúcar tem sido um dos destaques do agronegócio tocantinense nos últimos anos. O plantio de cana no Tocantins cresceu 18,5% entre 2011 e 1012, passando de 27 mil hectares no final de 2011 para 32 mil hectares este ano.

A produção é concentrada nos municípios do nordeste do Estado, sobretudo em Pedro Afonso, Tupirama e Bom Jesus – região que sedia uma indústria de etanol.

De acordo com dados da Diretoria de Agroenergia da Seagro - Secretaria da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário, a produtividade da cana-de-açúcar no Estado é de 90 mil toneladas por hectare, enquanto que a média nacional é de 76 mil toneladas por hectare. Para o diretor de Agroenergia, Luiz Leal, a boa produtividade credencia a expansão do setor no Estado.

“Nos últimos meses a Seagro vem fazendo um trabalho, junto a Única - União da Indústria de Cana-de-açúcar - para apresentar nosso potencial de produção de cana e assim atrair novos investimentos para o Tocantins”, informou Luiz Leal. O setor sucroalcooleiro contribui com a geração de empregos na própria região produtora da cana-de-açúcar, porque a indústria precisa estar próxima aos canaviais.

Para o coordenador de Etanol da Seagro, Marcus André Ribeiro, o Tocantins possui características, que são diferenciais do Estado para atrair investimentos para o setor da cana-de-açúcar. “O nosso grande destaque é a quantidade de áreas disponíveis para a produção de cana. É possível expandir muito a produção sem fazer abertura de novas áreas”, avaliou Ribeiro.

Levando em consideração apenas a demanda da indústria de etanol já instalada no Tocantins – a Bunge Pedro Afonso – a produção de cana-de-açúcar no Estado tende a dobrar até 2016. Contudo, as estimativas do Governo é que outros investimentos do setor sucroalcooleiro no Estado nos próximos anos potencializem o crescimento dessa produção.