Campo

O Tocantins está entre os dez maiores produtores de gado do país, com um rebanho de quase oito milhões de cabeças, livre de aftosa com vacinação e outras doenças há mais de 12 anos, o que viabilizou o estado a exportar carne para diversos países.

Todo esse potencial de mercado desperta cada vez mais interesse e vontade de especialização por parte dos produtores pecuários tocantinenses. Para isso o Sebrae e parceiros realizam entre os dias os dias 25 e 29 de setembro o “Dia de Campo da Pecuária”.

As atividades acontecem em quatro cidades do Estado: dias 25 e 26 em Araguaína, 27 em Colinas do Tocantins, 28 em Gurupi e 29 em Paraíso do Tocantins. O evento tem como tema principal o “Manejo de Pastagens – Como conseguir lucros na pecuária de corte”.

Na oportunidade serão abordados os seguintes assuntos: viabilidade econômica da adubação; influência da adubação na capacidade suporte da pastagem; exigências nutricionais das forrageiras; conceitos de manejo da fertilidade do solo da pastagem; técnicas adequadas de calagem; técnicas de aplicação de macro e micronutrientes e estratégias de adubação.

O palestrante convidado é o zootecnista e professor, Adilson de Paula Almeida Aguiar, especialista em “Solos e Meio Ambiente” e ainda autor dos livros “Manejo de Pastagens”; “Manejo da Fertilidade do Solo sob Pastagens – Calagem e Adubação”; “Produção de Leite a Pasto – Uma abordagem Empresarial e Técnica”, além de ser co-autor de outros livros sobre os temas.

Para o analista técnico do Sebrae, Francisco Alexandre Gomes, “a  realização dos Dias de Campo torna-se necessária em função da demanda dos produtores da região, principalmente pela dificuldade em manejar pastagens e equacionar a viabilidade econômica desse manejo para melhorar a rentabilidade da atividade de pecuária de corte”.

Além da produtividade, outro fator que o evento aborda é a questão da sustentabilidade no manejo de gado. A discussão ecológica é uma preocupação para que se evite a destruição das áreas destinadas à atividade.

“Alguns produtores e técnicos já estão convencidos da necessidade da adubação das pastagens para evitar a degradação e para obter alto desempenho animal e alta produtividade por hectare. No entanto, existem muitas dúvidas sobre a viabilidade econômica da adubação de pastagens para bovinos de corte”, frisa Gomes. (Ascom Sebrae)