Cursos & Concursos

Foto: Divulgação

 O Conselho Regional de Psicologia da 9ª Região (Goiás e Tocantins) está com 88 vagas abertas para o concurso público nos níveis médio e superior. As inscrições podem ser feitas até o dia 8 de outubro e o salário oferecido é de R$ 1.667,54. Quem pretende concorrer a uma das vagas precisa se preparar, pois a concorrência é grande. Uma ótima fonte de estudos para concursos na área de saúde, o livro Políticas Públicas de Saúde (Campus/Elsevier), da autora Ana Vanessa de Medeiros Neves, apresenta uma linguagem direta e fácil sobre o assunto. A obra é indicada tanto para quem vai atuar de forma direta com medicina, nutrição, enfermagem, psicologia, odontologia etc, quanto para quem pretende trabalhar na área administrativa. Por isso, a autora separou dicas fundamentais para quem vai fazer a prova.

“Primeiro esquematize o edital e busque entender como ocorre o concurso e quais são as suas regras. Depois, adquira o material necessário para o estudo, recolhendo todo o conteúdo geral e específico que precisará, elabore uma planilha ou tabela de estudos, distribuindo todo o conteúdo de forma equilibrada. Reajuste a planilha de estudos de forma realista sempre que perceber a necessidade de intensificar o estudo de algum conteúdo. Resolva as questões de concursos anteriores sobre cada tema, mas apenas após ter realizado o estudo teórico correspondente. Resolva provas anteriores da mesma banca organizadora, buscando analisar o modo como as questões foram elaboradas”, aconselha Ana Vanessa.

Na hora de dividir o tempo para estudar, a autora acredita que é preciso separar mais tempo e atenção para legislação, já que ao analisar o edital percebeu maior ênfase no assunto.

“A análise do edital permitiu identificar uma clara ênfase sobre a legislação, destacando-se em primeiro lugar o Código de Ética do Psicólogo e as Resoluções do Conselho Federal de Psicologia (CFP), seguindo-se o conteúdo sobre Políticas Públicas de Saúde.

Para não cair em pegadinhas durante a prova, Ana Vanessa acredita que é importante prestar bastante atenção para não interpretar o texto de forma errada.

“Em questões sobre legislação é bastante comum o uso de trechos transcritos literalmente das leis e resoluções, sendo frequente a formulação de assertivas em que o início das frases é apresentado exatamente como no texto original, mas em que alguns detalhes são inseridos com vistas a modificar o sentido original, tornando-as falsas. A solução destas questões exige o conhecimento consolidado do assunto e a leitura atenta, a fim de identificar essas distorções do conteúdo”, disse a autora.

Ana Vanessa acrescentou ainda que é comum que o candidato leia o enunciado e depois distraia-se na leitura das assertivas, perdendo o foco sobre a exigência da questão.

“Em questões objetivas, é fundamental que o candidato busque manter-se focado em responder exatamente o que for solicitado no enunciado na questão, evitando confundir a própria opinião com o que é solicitado pela banca organizadora. Outra dica preciosa é riscar, eliminando, as assertivas que claramente estão incorretas, pois esta estratégia ajuda o candidato a focar a atenção apenas nas opções que realmente têm chance de ser a resposta correta”.

O Instituto Quadrix tem, tradicionalmente, organizado os certames promovidos pelos Conselhos Regionais de Psicologia (CRP) e pelo CFP, fornecendo aos candidatos variadas provas que poderão ser utilizadas como ferramentas para a preparação deste concurso. Por isso, é recomendável que os candidatos resolvam as questões formuladas pela banca sobre cada tema estudado. No entanto, Ana Vanessa diz que isso deve ser feito após terem realizado o estudo teórico correspondente e sempre buscando analisar o modo como as questões foram elaboradas.

Experiente na área e psicóloga do Ministério da Saúde, Ana Vanessa sabe os principais erros cometidos pelos candidatos ao estudar para concursos públicos e acredita que para ser aprovado o segredo é manter o foco.

“Muitos candidatos ao se prepararem para concursos privilegiam, em seus estudos, os temas que são do seu interesse pessoal, investindo muito tempo de estudo nesses temas em detrimento de outros que são realmente exigidos nos certames. Essas avaliações equivocadas fazem com que percam tempo de estudo e se frustrem por não obterem o resultado almejado. Manter o foco é a grande dica para ser aprovado em concursos”, diz.