Cultura

Foto: Beto Monteiro

A peça de autoria do escritor brasileiro Timochenco Whebi, “A perseguição ou o longo caminho que vai de Zero a Ene” será encenada na sexta, sábado e domingo, 9, 10 e 11, com duas sessões por dia, às 19h30 e 20h30, no Teatro Fernanda Montenegro, no Espaço Cultural José Gomes Sobrinho, com entrada a preço popular no valor de R$ 10,00 a inteira e R$ 5,00 a meia e distribuirá 30% dos ingressos gratuitamente, com uma hora de antecedência, para estudantes de escolas públicas. 

O espetáculo do grupo Coletivo Teatral Três Marias, interpretado por Karla Pollyanna e Tales Monteiro retrata Zero como o perseguidor e Ene como o perseguido. Zero busca retomar o que perdeu, Ene se distancia. Desejam se tornar visíveis aos outros, serem como os outros: existirem. A interpretação de cada pessoa vai determinar o que viria a ser o “Zero” e o “Ene”. Qual o método que lhes dará representatividade? A ciência? A arte? A religião? O autor convida a todos a imaginar ou intuir, um jogo entre dois pontos. Convida a medir o longo caminho que vai de zero a ene. 

Dramaturgo premiado, crítico e professor da Universidade de São Paulo (USP), o paulista Timochenco Wehbi, revela na peça “A Perseguição ou o longo caminho que vai de Zero a Ene “um jogo dramático de uma perseguição em que Zero está no encalço de Ene, que pode ser qualquer coisa. Mas nunca consegue alcançá-lo. “O homem é perseguidor,  já que não se resigna a ser, estaticamente, uma coisa configurada para todo o sempre”, diz o texto. 

A montagem do texto foi possível por meio do prêmio Arnaud Rodrigues, disponibilizado em Edital pela Secretaria Estadual de Cultura e conta com o apoio da Fundação Cultural de Palmas (FCP). (com informações da assessoria de imprensa da peça)