Estado

Foto: Edilson Pelikano

O ex-governador Marcelo Miranda (PMDB) comentou ao Conexão Tocantins as declarações do líder de governo, deputado estadual Osíres Damaso (DEM) e as indiretas do governador Siqueira Campos (PSDB) durante evento nesta segunda-feira, 12. Siqueira teria indiretamente chamado os ex-governadores de “caras de pau”.

“Estão preocupados demais comigo. Ele precisa parar de se preocupar com os antecessores e ir trabalhar”, frisou. O líder do governo na Assembleia Legislativa disse que Marcelo e o ex-governador Carlos Gaguim, ambos do PMDB, deixaram uma dívida de R$ 378 milhões aos cofres públicos e que isso tem atrapalhado a gestão de Siqueira.

Com relação ao valor da dívida divulgada pelo líder do governo em discurso na Casa de Leis, Marcelo disse que também recebeu dívidas quando  assumiu o governo. “Eu saí no dia 9 de setembro (de 2009) e deixei dívidas programadas, recursos licitados, enfim débitos da administração”, explica.

Muitos governistas, inclusive o próprio governador, não teriam gostado de Marcelo ter dito que deixou o Estado adimplente. Para o ex-governador, as indiretas de Siqueira aos antecessores mostra que o governo precisa parar de olhar para trás. “Estou pensando é no futuro do Estado. O governo deve parar de olhar para o retrovisor. O importante é olhar para frente”, salientou.

Marcelo agradeceu a defesa do seu colega de partido, deputado estadual Eli Borges, durante debate na manhã desta terça-feira, 13, no plenário da Assembleia sobre as dívidas deixadas no Estado. Borges ainda questionou as contratações do atual governo.

O ex-governador Marcelo Miranda frisou ainda que concorda com o deputado estadual José Geraldo de Melo Oliveira (PTB) que criticou os altos gastos do governo com folha de pagamento. Marcelo pontuou que mesmo sendo oposição politicamente, torce pelo bem do Estado e apoia o que for bom para a população.