Polí­tica

Foto: Edilson Pelikano Ex-governador Marcelo Miranda presidirá comissão provisória Ex-governador Marcelo Miranda presidirá comissão provisória

O presidente nacional do PMDB, Valdir Raupp dissolveu na manhã desta quarta-feira, 14, o diretório estadual da legenda no Tocantins que era presidido pelo deputado federal Júnior Coimbra. Após a nomeação da comissão provisória, o PMDB terá eleição para o novo diretório.

A comissão provisória será presidida pelo ex-governador Marcelo Miranda e terá ainda como membros o ex-deputado federal e ex-presidente do partido, Osvaldo Reis, a deputada estadual Josi Nunes, o filiado Derval de Paiva, o deputado estadual Eli Borges e o ex-governador Carlos Gaguim. O grupo do ex-presidente Junior Coimbra teria um membro na comissão que poderia ser o próprio deputado, mas o mesmo se recusou a participar, com isto foi indicado o deputado estadual Ricardo Ayres.

“O PMDB tem luz própria, é um partido consolidado, não pode ser usado por aqueles que não demonstram amar o partido”, declarou a deputada estadual Josi Nunes após a destituição.

Estão em Brasília além de Júnior Coimbra, a deputada Josi, o deputado estadual Vilmar do Detran, o ex-vice-prefeito de Palmas, Derval de Paiva, o prefeito eleito de Paraíso do Tocantins, Moises Avelino e o ex-deputado federal e ex-presidente regional da legenda, Osvaldo Reis.

A dissolvição foi provocada após renúncia coletiva de maioria dos membros do diretório na semana passada. Dentre os insatisfeitos com o comando do deputado federal Júnior Coimbra estão os ex-governadores Carlos Gaguim, Marcelo Miranda e outros nomes do partido como prefeitos e vereadores. Coimbra tentou reverter mas não conseguiu.

Marcelo é um dos nomes mais cotados para assumir o comando da legenda após aprovação da comissão provisória. Coimbra foi alvo de muitas críticas e inclusive foi acusado de tentar levar o partido para a base de apoio do governador Siqueira Campos inclusive o que poderia resultar numa coligação para o pleito de 2014. Coimbra estaria ainda prestes a fazer indicações no governo.

Esta é a segunda destituição no PMDB nos últimos dois anos, já que Osvaldo Reis, ex-presidente da legenda, também foi destituído logo após o pleito de 2010 quando o PMDB perdeu para Siqueira. (Atualizada às 14h33)