Estado

Foto: Aldemar Ribeiro

Em entrevista ao Conexão Tocantins o sceretário Estadual da Adminstração, Lúcio Mascarenhas afirmou que o governo estadual não tem condições d e pagar a data-base dps servidores de acordo com a proposta aprovada pelos Sindicatos.

Os servidores querem  o pagamento de 5,57%, mais o retroativo da data-base, em janeiro e a proposta do governo é que o benefício seja pago em maio. A proposta foi votada  por representantes de  13 sindicatos classistas e três associações de Militares.

“ Não é possível. O Estado continua sob impacto de uma forte frustação de receita”, frisou. Segundo Mascarenhas a frustação no repasse do Fundo de Participação dos Estados – FPE pode chegar a R$ 313 milhões. Os Sindicatos já oficiaram a Secad sobre a proposta e deram prazo até dia 5 de dezembro para a resposta do governo. No dia seis já está marcada uma paralisação em prol da data-base.

Comentando também o assunto o Secretário de Relações Institucionais, Eduardo Siqueira Campos  frisou que o governo pagou a data-base dos anos de 2010 e 2011 e que este ano não será diferente. “ Precisamos levar em consideração a situação do Estado. Existe um sindicato daqueles que ainda não estão empregados. Quem governa tem que olhar para todos.”, ponderou.

Eduardo disse que o governo está com a rodada de negociações aberta e que o indicativo de greve aprovado pelos Sindicatos é um direito das categorias.

Segundo o secretário o  Tocantins figura na lista de melhores salários na maioria das categorias. “ É difícil a categoria que o Tocantins não está em primeiro lugar como melhor salário do país”, disse.