Palmas

Foto: Divulgação Lailton Costa é o titular da Ouvidoria da Prefeitura de Palmas Lailton Costa é o titular da Ouvidoria da Prefeitura de Palmas

Antes do início da entrevista coletiva, convocada para a manhã desta segunda-feira, 11, o prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PP) fez um resumo dos acontecimentos da administração que movimentaram a última semana. Na ocasião, Amastha falou sobre a visita do presidente da Embratur, Flávio Dino, da inauguração da Central de Flores e da liberação de R$ 120 milhões de verbas do Governo Federal.

Na oportunidade, o prefeito frisou que uma das medidas recentemente tomadas foi a melhoria na alimentação dos servidores que atuam na Agência de Serviços Públicos (Agesp). “A alimentação desastrosa. Trocamos imediatamente e agora estão recebendo uma comida digna”, completou.

Após uma breve abertura, o prefeito passou a palavra ao chefe da Ouvidoria da Prefeitura, Lailton Costa, que destacou os trabalhos exercidos pelo seu setor na administração. Segundo o jornalista, até o momento, 179 manifestações foram registradas na Ouvidoria Municipal. “Três meses antes da ouvidoria ser interditada, o número era de no máximo, 63. Isso demonstra que a população está procurando”, disse.

De acordo com o chefe do setor, é a partir destas manifestações que a Prefeitura poderá se nortear para planejar as ações para o município. Costa frisou que ainda existe muito a ser feito. De acordo com o chefe da Ouvidoria, apenas 52 das 179 manifestações (29%) foram atendidas e solucionadas. “É um serviço grande a ser feito”, completou.

Já o prefeito, ao ouvir os dados apresentados, frisou que este é um serviço que está apenas começando e que a meta é que nenhuma demanda deixe de ser atendida. “Cada secretaria tem que criar seu mecanismo para não deixar a comunidade sem resposta”, ponderou.

Infraestrutura

Um dos setores que recebeu o maior número de reclamações, a infraestrutura municipal foi tema de apresentação de calendário de obras da Prefeitura de Palmas. De acordo com o secretário municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos, Marcílio Ávila, a gestão encontrou um cenário desfavorável para a agilidade nos serviços. Contudo, o gestor frisou que os serviços vem sendo feitos.

Dentre os serviços iniciados pela atual gestão, conforme Ávila, a recuperação das vias e a limpeza das áreas urbanas tem recebido especial atenção. “Quando nós achávamos que deveríamos apenas roçar as áreas, percebemos que tínhamos que limpar. Nos locais haviam restos de móveis, de carros”, disse.

Além disso, na área da iluminação pública, o secretário frisou que encontrou muito mais lâmpadas públicas queimadas do que o previsto. “Quando entramos, pensávamos ter mais ou menos umas mil lâmpadas, mas encontramos 4.700 lâmpadas queimadas na cidade. Já substituímos uma parte e temos agora uma licitação para recolocar o restante das lâmpadas”, completou

Na oportunidade, Marcílio Ávila frisou que uma das metas é recuperar prédios públicos municipais que estão impossibilitados de funcionarem corretamente. “Nós temos, por exemplo, o Ginásio Ayrton Senna, que ainda está interditado. Pedimos até um pouco de paciência porque ações estão sendo tomadas e temos como objetivo sanar todos os nossos problemas”, concluiu.