Polí­tica

Foto: Divulgação

Desde a última sexta-feira com a divulgação da aprovação da instituição do auxilio-moradia para os 24 deputados estaduais o assunto ganhou repercussão nas redes sociais e também em vários setores. O assunto porém, como já mostrou o Conexão Tocantins, divide os próprios parlamentares.

Dos 24 deputados estaduais, maioria deles, ou seja 13 possuem residência própria em Palmas e mesmo assim, segundo o ato da mesa diretora, serão agraciados com o benefício.

O deputado Marcelo Lelis (PV) informou que vai abrir mão do benefício, Sargento Aragão do PPS frisou que pretende doar o valor.O deputado do PT, José Roberto Forzani contou ao Conexão Tocantins que ainda analisa a legalidade do benefício, embora tenha assinado o ato da mesa diretora concordando com o auxílio.

O tucano Freire Júnior defendeu abertamente a legalidade do benefício e mesmo tendo residência na capital frisou que vai receber o dinheiro por que não vê nenhum ato de imoralidade nisso. “É um direito que tenho e vou usar”, afirmou.

Em entrevista ao Conexão Tocantins o presidente da Casa de leis, Sandoval Cardoso frisou nesta segunda-feira que mesmo com a repercussão o auxilio vai permanecer pois já está criado. “ Todos criaram e não tem porque chama os deputados para conversar sobre isso. Acho justo e correto isto é valorizar o trabalho do parlamentar, não tem por que na criar se os outros poderes tem”, frisou.

Com relação ao benefício de quem tem moradia própria ele pontuou que a verba não é só para pagar aluguel. “ Não é especificadamente para pagar aluguel. É igual os desembargadores que  moram em Palmas e recebe. O deputado tem um custo maior do que uma pessoa normal e quem mora de aluguel é maior ainda”, ponderou.

O presidente contou que vai auxiliar alguns deputados sobre o uso do recurso. Segundo ele mesmo os que tem residência fixa precisam do auxílio para ajudar em outras despesas.

Um deputado ganha R$ 45 mil de verba de gabinete por mês para pagar servidores, R$ 25 mil de verba indenizatória e mais R$ 20 mil de salário.

Entenda

Um ato da mesa diretora da Assembleia Legislativa instituiu no dia 21 de março deste ano, sem nenhum alarde, o auxílio moradia no valor de R$ 3.429,50 para todos os 24 deputados. A medida foi publicada no Diário Oficial de 28 de março. O impacto do auxílio para a Assembleia será em torno de R$ 800 mil por ano, como estimou o presidente.  O valor do auxílio corresponde a 90,25% do mesmo benefício recebido pelos deputados federais.