Saúde

Foto: Divulgação

Duas mães que estão com bebês na UTI do Hospital e Maternidade Dona Regina em Palmas entraram em contato com o Conexão Tocantins nesta quinta-feira, 9, onde relataram assustadas que uma bactéria desconhecida teria tomado conta da Unidade. “Os médicos falaram para a gente que é uma bactéria desconhecida e estamos com muito medo”, afirmou uma das mães.

A informação das mães é que oito bebês teriam sido alvo da bateria e não teriam resistido. Os óbitos teriam ocorrido desde o dia 1º deste mês, segundo relatos das mães. Conforme as mães uma estrutura provisória foi montada no hospital para onde os bebês da UTI foram  transferidos até que o problema seja solucionado.

Segundo as informações repassadas pelas mães, inclusive o bebê recém-nascido que recebeu injeção de leite na veia ao invés de medicamento no mês de abril, conforme divulgado amplamente pela imprensa, estaria em estado grave por causa da tal bactéria.

O Conexão Tocantins tentou contato com a direção do hospital mas foi informado pela recepcionista que todos os diretores e equipe médica estão em reunião fechada nesta manhã.

Governo

Contrariando as informações repassadas pelas mães a Secretaria Estadual da Saúde (Sesau) informou ao Conexão Tocantins que  desconhece a informação da bactéria mas confirmou que foram registrados seis óbitos neste mês. “O fato que foram investigados e não têm relação alguma com a superbactéria (KPC). Três bebês tinham sérios problemas de má-formações congênita e os outros vieram a óbito devido a sua prematuridade. Este número de óbitos está dentro do esperado para unidade”, alega.

A Sesau diz ainda que fez o remanejamento da UTI para realizar uma reforma no local, o que não está prejudicando os atendimentos na unidade, visto que a Secretaria mantém contratos de leitos de UTI Neo com o Hospital Maternidade Cristo Rei, para qualquer necessidade.

Veja abaixo a íntegra da nota da Sesau:

NOTA ESCLARECIMENTO

Em relação aos questionamentos feitos por este veículo de comunicação, a Sesau – Secretaria de Estado da Saúde e a Direção do Hospital e Maternidade Dona Regina informam que desconhecem a informação sobre a proliferação da super bactéria KPC na UTI Neo – Unidade de Tratamento Intensivo do Hospital.

A Secretaria registrou seis óbitos de bebês na UTI neste mês de maio, fato que foram investigados e não têm relação alguma com a superbactéria (KPC). Três bebês tinham sérios problemas de má-formações congênita e os outros vieram a óbito devido a sua prematuridade. Este número de óbitos está dentro do esperado para unidade.

A Sesau esclarece que fez o remanejamento da UTI para realizar uma reforma no local, o que não está prejudicando os atendimentos na Unidade, visto que a Secretaria mantém contratos de leitos de UTI Neo com o Hospital Maternidade Cristo Rei, para qualquer necessidade. Hoje, devido à reforma a UTI teve seus leitos reduzidos temporariamente, contando com 10 leitos na UTI e 15 na UCI (Unidade de Cuidados Intermediários), todos ocupados.

A Secretaria ressalta que o Hospital e Maternidade Dona Regina é a unidade de referência estadual para atendimentos de alta complexidade materno e infantil, dispondo de uma equipe multiprofissional e de todos os recursos necessários para tais procedimentos.