Polí­cia

A Corregedoria da Polícia Civil vai averiguar e analisar o caso do policial civil Murilo Melo de Oliveira que foi preso em Gurupi na madrugada desta sexta-feira, 10, após agredir fisicamente um policial militar. A Secretaria de Segurança Pública determinou que sejam tomadas todas as providências administrativas.

O impasse começou quando Murilo se desentendeu com um rapaz numa Conveniência em Gurupi e teria chegado a efetuar disparos no local com sua arma. Após a chegada da Polícia Militar ele se apresentou como Policial civil e ao ser conduzido até a delegacia é acusado de agredir fisicamente com socos e pontapés um policial militar.

O caso foi repudiado pela Associação dos Oficiais Policiais e Bombeiros Militares do Estado do Tocantins presidida pelo Tenente Coronel Antonio Corsini de Mello Neto, que condenou a atitude do policial civil. “Não podia deixar de repudiar esta ação cometida por um Agente de Polícia Civil que estando completamente embriagado, pego em flagrante delito por disparo de arma de fogo em vias públicas na tentativa de alvejar seu desafeto e ao ser conduzido ao seu local de trabalho em comum acordo com os Policiais Militares, viesse a agredir sem motivo um Aspirante PM, ou que fosse qualquer outra pessoa”, diz o presidente da Associação em nota.

A Associação porém considerou o caso como isolado. “Espero que essa ação praticada pelo Agente Murilo não se repita, que ele possa refletir de seu erro, como também servir de um mau exemplo a ser seguido”, afirma o presidente.

Por: Redação

Tags: