Estado

Foto: Divulgação

Após o prefeito de Palmas, Carlos Amastha afirmar ao Conexão Tocantins que desistiu da relação institucional com o governo do Estado alegando que a atual gestão estadual não cumpriu com nenhum compromisso acordado em várias áreas o secretário de Relações Institucionais, Eduardo Siqueira Campos disse ao Conexão Tocantins nesta sexta-feira, 16, que mantém o otimismo na boa relação.

A intenção era fazer uma agenda positiva conjunta em prol da cidade mas o prefeito contou que não deu certo.  Além de alegar falta de compromisso do Estado com vários acordos principalmente na área da Saúde e da Infraestrutura a prefeitura cobra também R$ 15 milhões de débitos que ainda estão sendo analisados pela Secretaria da Fazenda.

“ Mantenho o otimismo apesar de pequenas intercorrências, por parte do governo trabalhar bem com a prefeitura continua sendo uma meta”, disse. Ele citou que a prefeitura está trabalhando com várias máquinas cedidas pelo Estado e que há uma programação para algumas obras de acesso à TO. “ Nossa ação não será diferente com a prefeitura de Palmas”, frisou ao afirmar que o governo busca dar suporte e ajudar várias prefeituras.

Um dos projetos que o Estado pretende discutir com a prefeitura é a criação da região metropolitana de Palmas, com base em estudos do IBGE e da Unitins. “ Vou conversar com o prefeito com o objetivo de não sofrermos mais exclusão da área de Palmas por falta de contingente populacional”, especificou. O projeto que deve ser apresentado na Assembleia visa, segundo ele, evitar que Palmas seja excluída de  alguns projetos e programas do governo federal em razão do contingente populacional.