Campo

Foto: Lenito Abreu

A Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins – Adapec concluiu o monitoramento de pragas que a Agência mantém sobre o plantio de soja nas várzeas tropicais nos municípios de Lagoa da Confusão, Pium e Formoso do Araguaia. Ao todo 885 laudos foram emitidos, sendo que destes, apenas dois foram positivos para a ferrugem asiática. 

Os dados apresentados pela Agência apontam que houve em 2013 um aumento significativo de mais de 12% na área plantada nas várzeas em relação a 2012 passando de 36,3 mil hectares para 42 mil hectares. E revela que o monitoramento realizado pela Adapec vem surtindo efeitos positivos no controle de pragas nas várzeas, sendo que em 2012 foram registrados 12 casos positivos e neste ano apenas dois. “Nosso objetivo é controlar cada vez mais a entrada de pragas que possam afetar as nossas lavouras, e com isso, produzir sementes de qualidade na entressafra,” disse o presidente da Adapec, Marcelo Aguiar Inocente. 

De acordo com a Adapec, o órgão mantém 32 inspetores agropecuários (engenheiros agrônomos) que realizam constantemente monitoramento da ferrugem asiática, o uso correto e seguro de agrotóxico, além de um processo de educação sanitária junto aos produtores. “O trabalho de monitoramento de pragas e a educação sanitária feita pela Adapec, aliada a conscientização dos produtores, possibilitou que o Tocantins fosse hoje um grande produtor de sementes de altíssima qualidade, nesta região,” afirma o diretor de Defesa, Inspeção, Sanidade e Educação Vegetal da Adapec, Luis Henrique Michellin. 

O engenheiro agrônomo, Geroilton Ribeiro, destacou que outro fator que nesta safra houve uma redução de 83% nos casos de amostras positivas da ferrugem asiática, considerando o mesmo período do ano passado. “Estes números vem caindo nos últimos três anos e nesta safra registramos uma queda significativa,” disse o engenheiro. Ele também explicou que o monitoramento é feito constantemente por meio de amostras, sendo uma para cada 300 hectares, e nos casos positivos, os técnicos notificam os produtores e são tomadas as devidas providências de acordo com a legislação fitossanitária.  

Dados 

Conforme dados do monitoramento da ferrugem asiática nas várzeas tropicais, entre os anos de 2010 a 2013, houve um aumento da área plantada de 49,57%, saindo de 28.079 mil hectares naquele ano, para 42 mil hectares em 2013. Vale destacar que neste período aumentou-se a área plantada e reduziu-se o número de casos positivos para a ferrugem asiática de 16 em 2010 para apenas 02 em 2013, uma queda de 87,5% nos casos.