Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado do PPS, Manoel Queiroz repercutiu na tribuna na Casa de Leis da Assembleia Legislativa do Tocantins a possível articulação que estaria em curso para que as contas de 2009 de Marcelo Miranda e Carlos Gaguim sejam rejeitadas. Ele pediu ao presidente da Casa, Sandoval Cardoso (PSD) agilidade na votação e lembrou inclusive que a matéria já teve dois relatores antes de José Augusto Pugliese. “ Encontramos um deputado que teve coragem de colocar estas contas para análise. Agora só cabe ao plenário”, disse. Para ele as contas não podem ficar guardadas e engavetadas. “ Não vou colocar a culpa nessa Casa mas sim de nós todos”, frisou.

 “Temos que tomar uma decisão em definitivo sobre as contas. Esse assunto já extrapolou todos os limites regimentais que essa Casa poderia tolerar”, frisou. Ele lembrou o discurso do líder do governo, Carlão da Saneatins (PSDB) onde ele se posicionou pela rejeição das contas.  Na opinião de Queiroz já está passando da hora de votar este projeto.

 Ele falou ainda do parecer do Tribunal de Contas do Estado pela rejeição das contas.  “O Tribunal não é visto com bons olhos pela população mas não é por isso que temos que fazer de conta que estamos analisando as contas pois isso é mesquinho, é muito pequeno e não parece ser honesto”, frisou. Para ele o parecer do TCE foi político. “Esses dois ex-governadores gostam muito do presidente dessa Casa e de todos aqui por entender que esta Casa é soberana. Não podemos carregar em nossas costas essa responsabilidade, essa culpa. Vamos tirar essa responsabilidade das nossas costas”, frisou acrescentando ainda que há um clamor nas ruas para que tais contas sejam votadas logo.

Queiroz pediu que assim que o relator José Augusto retorne ao parlamento o processo seja colocado em votação.

 O deputado Stalin Bucar (PR) “Não vejo mais motivo nenhum deste projeto permanecer engavetado. Não consigo entender qual é o medo que esta Casa tem de colocar este projeto em votação. Não sei o porquê deste temor de se propor a votação favorecendo ou não os ex-governadores”, disse. “O que não pode é ficar escondendo um processo que é de responsabilidade deste poder julgar”, disse.

 Em seguida o líder do governo negou que tenha pedido para que os deputados votem contra. “Cada um use sua consciência e seu voto. Eu como líder do governo não vou e não farei hora nenhuma para que deputado acompanhe meu voto e que espere que as urnas de 2014 darão a resposta”, disse.

 A peemedebista Josi Nunes também cobrou que as  contas sejam colocadas em votação e sugeriu uma conversa com o presidente para a votação da matéria.Luana Ribeiro (PR) aproveitou a discussão e revelou que votará a favor da aprovação das contas.

Sargento Aragão (PPS) fez coro aos demais colegas e também pediu a apreciação das contas assim como Wanderlei Barbosa (PEN) e José Roberto Forzani (PT). O petista inclusive chegou a questionar que o líder governo cobra a votação de matérias deste ano mas por outro lado as contas de 2009 estão há três anos engavetadas.