Polí­tica

Foto: Divulgação

O secretário de Relações Institucionais e pré-candidato ao governo estadual, Eduardo Siqueira Campos foi citado na Assembleia Legislativa durante discussão entre alguns deputados. Tudo começou quando o líder do governo, Carlão da Saneatins ironicamente parabenizou o ex-ministro José Dirceu, um dos condenados do mensalão, por ter conseguido trabalho num Hotel de Brasília. “Parabéns para o campeão de fraudes”, ironizou.

 Visivelmente irritado com a colocação de Carlão, Freire Junior (PV) condenou a fala do colega e lembrou que Eduardo se encontrava com Dirceu antes dele ser preso. “Cadê Eduardo que estava com ele (José Dirceu)  enquanto estava furtando? É um absurdo a falta de coerência e a falta de brio do governo dizer uma coisa dessa”, disse.

 Ele chegou a dizer ainda: “Enquanto o José Dirceu roubava ele (Eduardo Siqueira) era amiguinho dele”, disse. O parlamentar frisou que o atual governo estadual  tem que estar preocupado é em trabalhar e deve “parar de roubar”, segundo ele.

 Em seguida o deputado da base do governo, Stalin Bucar (SDD) defendeu Eduardo. “ Isso é recalque, é mais um absurdo da paixão de alguns políticos que querem propagar a situação que não existe”, disse.

 Visivelmente exaltado Freire rebateu se referindo ao líder do governo e de Stalin. “Um está catatônico e outro está confuso”, resmungou.

 Repúdio

 O deputado José Roberto Forzani repudiou as declarações dos deputados com relação ao mensalão e tentou defender os petistas condenados. “No nosso partido ninguém foi processado pelo roubo”, frisou ao criticar o julgamento feito pelo Mensalão. Ele ainda acusou o governo estadual de praticar vários desvios de dinheiro.

 A discussão sobre o mensalão se estendeu entre os parlamentares.