Polí­tica

Foto: Divulgação

No centro das especulações de vários cenários com relação à sucessão ao governo estadual, o vice-governador do Estado do Tocantins João Oliveira conversou com o Conexão Tocantins nesta segunda-feira, 13, sobre o assunto e garantiu que dentre todas as possibilidades a única que ele não concorda é renunciar ao seu mandato. “Não vou renunciar meu mandato. Isso é a única coisa que eu não faço”, garantiu. O vice diz ter certeza que o governador não o pediria para renunciar ao cargo.

Oliveira também afirmou que não deseja que o governador renuncie. “Se o governador tiver desejo de renunciar sou muito bem articulado com ele e estarei pronto, mas não estou desejando que ele faça isso e não estou cogitando nada disso”, pontuou.

No caso do governador Siqueira Campos (PSDB) renunciar para viabilizar a candidatura do filho, Eduardo Siqueira Campos, há uma especulação de que Oliveira também deveria deixar o cargo e nesse sentido o presidente da Assembleia Legislativa, Sandoval Cardoso assumiria o governo.

Outra vertente de especulação cogita a possibilidade de Oliveira renunciar para concorrer a primeiro suplente numa possível candidatura de Siqueira Campos ao Senado. “Nunca cogitei essa possibilidade e nunca falei que sou simpático a isso. Pretendo ir até o final no meu mandato”, disse.

Questionado sobre seus planos políticos para a eleição deste ano o vice frisou que somente em abril saberá se vai disputar algum cargo. “Só falarei em candidatura em abril”, disse.

Disposições

O governo atualmente está num processo de transição e preparação da nova reforma administrativa. Todos os secretários estaduais e presidentes de autarquias colocaram oficialmente os cargos à disposição. Para o vice essa atitude coletiva foi para deixar o governador à vontade.  “Não conversei com o governador sobre o assunto  mas eu entendi que os secretários fizeram isso num gesto de tranquilizar governador sobre  as mudanças que precisam ser feitas”, disse.