Estado

Foto: Divulgação

As rodovias tocantinenses passarão por revitalização e implantação de sinalização em trechos de grande tráfego, com o programa do governo do Estado, o Pró-Sinal. Os serviços já estão em execução, na TO-030, entre Taquaruçu e Buritirana mais de 75 km que receberão sinalização horizontal e vertical, além de dispositivos auxiliares de segurança viária. Ao todo serão mais de 3.000km em todo o Estado. A rodovia também está recebendo o serviço de tapa buracos e roçagem.

Para o secretário estadual da infraestrutura e presidente da Agência de Máquinas e Transportes (Agetrans), Kaká Nogueira, a ação visa sanar pontos críticos, aumentar a segurança dos condutores e pedestres em condições adversas, facilitando a mobilidade e a acessibilidade nas rodovias tocantinenses. “Vale ressaltar que estamos reforçando a sinalização, mas o condutor precisar fazer sua parte para a redução de acidentes, respeitando as leis de trânsito e a sinalização, principalmente no trecho entre Taquaruçu e Buritirana”.

A engenheira civil e especialista em trânsito, segurança e mobilidade da Agetrans, Gisela Eliane Pereira da Costa, explica que nos trechos que receberão a revitalização, serão feitos os serviços de sinalização horizontal e vertical e os dispositivos de segurança. “Alguns pontos receberão sinalização reforçada como o trecho do Mirante da Cachoeira do Roncador em Taquaruçu. Serão colocadas defensas metálicas, placas indicativas, educativas, advertência e de regulamentação, demarcação de faixas, sonorizador, marcador de alinhamento e faixas de redução de velocidades”, enumera.

Redução de acidentes

Morador da região a mais de 15 anos, Marlon Rodrigues trabalha no quiosque do Mirante e diz que já viu muitos acidentes na curva ao lado. “O tráfego aqui é intenso, muitos motoristas não conhecem o percurso, são imprudentes. Mas a sinalização reforçada é positiva e pode ajudar na redução dos acidentes. Também acho que deveria proibir o trânsito dos caminhões e carretas com cargas pesadas, pois o trecho é muito inclinado e difícil de subir, algumas cargas, como soja e brita, caem na via e também causam acidentes”, opina.

Recurso

O investimento previsto do programa será de R$ 2,6 milhões. Os trechos foram licitados na modalidade de menor preço, sob o regime de empreitada por preço unitário, observadas as disposições da Lei Federal 8.666/93. (Ascom/Agetrans)