Polí­tica

Foto: Divulgação

Após o governador Interino, Sandoval Cardoso (SDD), assinar a ordem de serviço de asfaltamento da TO-126 no trecho que liga Maurilândia a Itaguatins, os cabeças do Movimento Popular Organizado que inclui várias lideranças indígenas se revoltaram e interditaram a rodovia por tempo indeterminado. “No nosso entendimento precisamos de uma rodovia moderna e asfaltada”, informou a organização do Movimento.

O deputado José Bonifácio (PR) foi à tribuna para falar da manifestação e criticar o governo. “As Lideranças indígenas não concordam com a mudança da rota da rodovia. O secretário Kaka Nogueira não moveu um dedo em favor de uma resposta positiva para aquela rodovia”, criticou. Ele pediu que o secretário faça a estrada de Maurilândia até a divisa com a área indígena . “Ordem de serviço é um risco n’água”, criticou.

“Não adianta passar batom no beiço das crianças acho que o Sandoval entrou no governo para dar uma pincelada e mostrar algumas coisas e lançar algumas coisas que nunca serão feitas. Já temos três anos e dois meses de governo”, frisou. O deputado disse que não é só falta de atitude da Funai e Ibama mas também do governo estadual.

O movimento promete manter a paralisação até que algum representante do Governo vá até o local para negociar uma saída que seja o inicio das obras desta rodovia, pois se isso não acontecer os manifestantes prometem atrapalhar o inicio das obras do outro trecho. "Se não fizer toda não farão nenhum trecho", disse uma liderança indígena.

Lideranças indígenas e caciques de todas as aldeias que usam aquela estrada estão participando, bem como os moradores do próprio povoado e também do Povoado Ribeirão Grande que estão á frente do bloqueio feito com paus e galhos de árvores. Há também no local uma barricada feita com fogo colocada pelos manifestantes.

Segundo o representante do povoado Ribeirão Grande Pedro Bento, Edésio Barroso, um dos primeiros a fazer a movimentação para criação do "MPO", de inicio eles queriam apenas fazer um teste que já estava programado desde o inicio da semana passada, onde os manifestantes estavam querendo ficar somente por seis horas, porém, após a assinatura da ordem de serviço para a pavimentação do trecho da mesma rodovia que liga Maurilândia a Itaguatins pelo governador em exercício Sandoval Cardoso na ultima sexta feira, o movimento manteve o cronograma da manifestação, mas, sem dia nem hora para terminar.

Os manifestantes querem uma resposta rápida e verdadeira por parte do Governo do Estado quanto a situação deste outro trecho da TO, pois segundo Edésio, o Estado do Tocantins já tem 25 anos e ninguém, nenhum político fez algo por esse povo que vive a margem desta rodovia.