Polí­cia

Foto: Divulgação Poliana está na UTI do HGP Poliana está na UTI do HGP

No ultimo domingo, 30 de março, em Brejinho de Nazaré, aconteceu um acidente grave envolvendo um veículo VW/Gol e uma motocicleta Honda Fan 150, placa de Palmas. O condutor da motocicleta, Gilberto Gomes da Silva, estava acompanhado de sua esposa, Poliana Ferreira, quando foram atingidos por detrás pelo Gol, que não parou para prestar socorro.

Logo após o atropelamento e evasão do condutor do Gol, a vítima, Gilberto, ao se recobrar da queda, constatou que sua companheira não se encontrava no local do acidente. Ele chegou a questionar a populares que apareceram na sequencia para prestar socorro, a falta de sua companheira no local e eles teriam dito, então, que não havia ninguém além dele e que ele provavelmente estava tendo uma confusão mental.

Na sequencia dos fatos Gilberto recebeu uma ligação dizendo que sua companheira estava caída na Rua Duque de Caxias e que estava bastante machucada. Gilberto deslocou-se imediatamente ao local informado e chegando lá constataram que realmente se tratava de sua companheira.

Poliana estava caída em frente ao portão da residência, a qual populares disseram ser do condutor do Gol. O local em que a vítima se encontrava estava a aproximadamente 250 metros do local onde o acidente aconteceu. Ricardo percebendo a movimentação em frente a sua residência, se aproximou e afirmou que era o condutor do veículo Gol que havia atingido a motocicleta e que estava disposto a assumir todas as responsabilidades. Entretanto, Ricardo não teria acionado socorro médico e tomado nenhuma providência para socorrer as vítimas, em especial Poliana por estar muito lesionada e estar caída em frente a sua residência.

A suspeita é que Ricardo, possivelmente, estava sob efeitos de bebida alcoólica. Durante o socorro a Poliana, que ficou em condições extremamente críticas, e, comunicado de que teria de acompanhar Gilberto até a Delegacia, Ricardo concordou, mas enquanto socorriam Poliana, mais uma vez evadiu-se tomando rumo ignorado, possivelmente para não fazer o teste do bafômetro. Diante dos fatos e sumiço de Ricardo, Gilberto compareceu a Delegacia de Polícia de Porto Nacional para registrar boletim de ocorrência. 

Enquanto Gilberto teve ferimentos leves, Poliana sofreu lesões graves, sendo conduzida para o Hospital de Porto Nacional e logo em seguida encaminhada para o Hospital Geral Público de Palmas (HGP). Foi realizada perícia criminal no local do acidente, mas segundo Gilberto ainda não se tem resultados.

Gilberto afirmou ao Conexão Tocantins na manhã desta quinta-feira, 03, que a população de Brejinho de Nazaré está revoltada com acontecido. “Minha mulher foi arrastada por mais de 250 metros e ele não prestou socorro. Queremos justiça e que ele seja punido pelo que cometeu”,  disse, salientando ainda: “Se fosse um cachorro eu parava para dar assistência, imagina uma pessoa, no outro dia do acontecido ele foi trabalhar normalmente”, disse Gilberto.

O vereador Clorisvaldo Gomes (PSL), popular capoeira, pai de Gilberto, afirmou ao Conexão Tocantins que a justiça de Brejinho de Nazaré é muito omissa e que no momento do acidente a polícia chegou ao local e Ricardo estava presente, no entanto, segundo capoeira, não fizeram nada e quando decidiram fazer, Ricardo já havia desaparecido do local. O vereador ainda confirmou que, no dia seguinte, Ricardo teria ido trabalhar normalmente e que até agora a polícia não deu mais parecer.

“No município está acontecendo muita coisa, nesse acidente houve uma omissão tremenda pelo infrator, que mesmo estando embriagado não justifica o que aconteceu, arrastou a menina por tantos metros e não prestou socorro. Fizemos tudo dentro dos conformes, tudo certinho procuramos a polícia, e nem precisava dar parte porque a polícia compareceu no local e ele estava lá”, disse.

Albino Ferreira de Menez, pai de Poliana, afirmou ao Conexão Tocantins que a polícia informou não ter prendido o rapaz no momento em que o mesmo ainda se encontrava no local, porque estavam ajudando a socorrer a vítima. Para Albino foi uma falha da polícia. “A polícia me falou que não pegou o rapaz porque estavam socorrendo a vítima, mas isso foi uma falha da polícia porque tinha como pegarem ele. O rapaz arrastou ela por 250 metros e não teve coragem nem de olhar”, disse.

O pai de Poliana disse ainda que o médico afirmou que a situação de sua filha é muito grave. O Ministério Público também foi acionado e irá investigar o ocorrido.