Polí­tica

Foto: Divulgação

Realizada a pedido da deputada estadual Josi Nunes (PMDB), a Audiência Pública que discutiu a greve dos Profissionais da Educação nesta última quinta-feira,10, deliberou praticamente sobre a Medida Provisória nº 11/2014, que dispõe sobre o Plano de Cargos, Carreiras e Subsídios (PCCS) da Educação. “Nós já estamos conversando com a Executiva do Sindicato há alguns dias para tentar encontrar uma alternativa. A MP11 trata vários itens. Nós sugerimos essa audiência para dialogar com sindicatos e a categoria e verificar se ela contempla as reivindicações do professores”, explicou Josi sobre o objetivo da audiência.

Na ocasião, os representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado do Tocantins (Sintet) apresentaram todas as reivindicações da categoria, que não estariam sendo contempladas pela MP e deixaram claro, que a greve iniciada no ultimo dia 24, continuará até que as sugestões elaboradas pela categoria sejam acrescentadas à MP.

Após a audiência, os representantes seguiram para o Palácio Araguaia juntamente com o líder do governo, o deputado Carlão da Saneatins (PSDB) e do Presidente da Comissão de Cidadania e Justiça, Amélio Cayres (SD) para  mais um diálogo com o governador do Estado. “A audiência foi mais um espaço para discussão. Eu tenho conversado muito com os deputados e eles se dispuseram a  participar desta audiência, ouvir toda categoria, participar  de todo o processo e levar  todas essas reivindicações para o governador”, ponderou a peemedebista.

Ao defender  a inclusão das reivindicações dos professores na MP da Educação, Josi disse acreditar que da reunião com  governador possa sair algum encaminhamento  que encontre uma solução para o fim da greve. “Nós temos uma Medida Provisória , mas por causa do período eleitoral tem algumas questões que não podem ser incluídas em função do período eleitoral,como por exemplo  a questão financeira. Mas eu acredito que o Governador  Sandoval vai ouvir a categoria, ele é muito aberto neste sentido e acredito que ele possa está sensível as reivindicações. Espero que depois desta visita possa sair algum encaminhamento, que possa abrir mais um canal de discussão e encontrar uma solução”,completou.

Eleição Direta

No que tange a eleição direta para diretores na rede pública de ensino e o fim na interferência política nas escolas, a parlamentar adiantou que esta reivindicação pode ser incluída na MP. “Pode ser que a questão da eleição direta pode ser inclusa na Medida Provisória. Eles já estão estudando e eu sou autora de uma PEC  que trata sobre a eleição direta. Eu Solicitei a eles também, a votação da PEC que  dispões sobre a gestão democrática nas unidades de ensino”, finalizou.https://mail.google.com/mail/u/0/images/cleardot.gif